PUBLICIDADE
Esportes

Coutinho não quer saber de oba-oba: ?Estamos falando de Copa do Mundo?

Assim como o Brasil parou na Suíça em seu primeiro desafio na Copa do Mundo da Rússia, a Argentina tropeçou na Islândia, a Alemanha caiu diante do México, a Espanha sofreu com Portugal e a França precisou do árbitro de vídeo para superar a Austrália. Para Philippe Coutinho, todos esses resultados são sintomáticos e servem [?]

10:15 | 20/06/2018

Assim como o Brasil parou na Suíça em seu primeiro desafio na Copa do Mundo da Rússia, a Argentina tropeçou na Islândia, a Alemanha caiu diante do México, a Espanha sofreu com Portugal e a França precisou do árbitro de vídeo para superar a Austrália. Para Philippe Coutinho, todos esses resultados são sintomáticos e servem de alerta, principalmente para quem analisa os jogos do Mundial e influencia na expectativa de muitas pessoas.

?Isso tudo prova que muita gente fala sobre favoritismo e a gente está falando de uma Copa do Mundo. Tudo pode acontecer. Todas as seleções que estão aqui se prepararam forte para esse momento, então, tudo pode acontecer?, avisou o camisa 11 da Seleção Brasileira, tirando lições do que tem percebido no torneio desse ano.

?O que ficou claro é que todos os jogos vão ser bem difíceis. Às vezes muitos torcedores acham que a gente, por ser Brasil, vai chegar e ganhar fácil, fazer muitos gols. Essa é a mensagem que ficou, mas hoje em dia todos estão se preparando cada vez mais. Claro que agora a gente tem que, ao invés de ser 100%, dar 110% para poder ganhar a Copa?, comparou.

Muito do discurso do craque brasileiro serve de recado para o desafio de sexta-feira. A adversária será a Costa Rica, e novamente a seleção canarinho carregará toda a obrigação de sair de campo com a vitória e, de preferência, com um desempenho plausível.

?São jogadores de qualidade. Vi um pouco do último jogo deles contra a Sérvia, jogo bastante equilibrado, foi decidido em uma bola parada (1 a 0 para os europeus). É um time que tenta jogar. Temos de entrar como sempre entramos nos jogos, seguir nessa maneira que a gente joga, com alegria, responsabilidade, ousadia de tentar as jogadas e estar equilibrado na hora de defender?, ensinou, já prevendo marcação forte dos costarriquenhos, assim como os suíços fizeram no domingo, parando as jogadas com faltas, sem que podiam.

?Com certeza vão bater também. Estamos falando de uma Copa do Mundo, temos jogadores rápidos na frente. Acho que o árbitro vai estar ligado nesse jogo, mas, como você (jornalista) falou, a posse de bola é importante, ter calma, sair nos momentos certos, até mesmo para atacar na hora certa, ter o equilíbrio, girar um pouco mais a bola, para poder encaixar na hora certa?.

O confronto entre Brasil e Costa Rica está marcado para às 9h (sempre em horário de Brasília) de sexta-feira. Seis horas depois, Sérvia e Suíça completarão a segunda rodada do grupo E. Os resultados dessa véspera de fim de semana prometem ser cruciais para o futuro das seleções, que terão só mais um jogo a fazer após isso nessa primeira fase. Sendo assim, Philippe Coutinho revelou que os comandados de Tite já fizeram as contas e as projeções junto ao elenco sobre os cenários que podem se apresentar daqui para frente.

?A gente conversou sobre isso, as possibilidades, as formas de classificar, sobre pontuação? Teve reunião sobre isso. Mas, dentro de campo queremos sempre ganhar. Pelo menos na minha cabeça o que é mais importante é o próximo jogo, que a gente tem que jogar bem, continuar nessa pegada, merecendo a vitória. Essa questão dos pontos fica mais para o lado de fora?, despistou o craque do Barcelona.

 

Gazeta Esportiva

TAGS