PUBLICIDADE
Esportes

Brasil conta com retrospecto favorável em estreias de Copa

O técnico Tite já admitiu que está ansioso para a esteia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, mas pode contar com o retrospecto para se tranquilizar. Adversário da Suíça neste domingo, na Arena Rostov, o Brasil foi o país que obteve melhores resultados em primeiras rodadas de Mundiais. Desde 1982, a Seleção Brasileira só [?]

07:15 | 17/06/2018

O técnico Tite já admitiu que está ansioso para a esteia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, mas pode contar com o retrospecto para se tranquilizar. Adversário da Suíça neste domingo, na Arena Rostov, o Brasil foi o país que obteve melhores resultados em primeiras rodadas de Mundiais.

Desde 1982, a Seleção Brasileira só acumula vitórias em estreias de Copa. O último tropeço foi em 1978, quando empatou por 1 a 1 com a Suécia. Ao todo, em primeiras rodadas, o Brasil venceu 16 jogos, empatou dois e perdeu dois.

Primeiro tropeço

A primeira Copa do Mundo foi disputada no Uruguai, em 1930, e a participação brasileira foi muito curta. O time foi formado em meio a uma crise entre cariocas e paulistas e perdeu para a Iugoslávia por 2 a 1 na estreia. A vitória seguinte sobre a Bolívia não foi suficiente para manter o Brasil na competição.

Em 1934, na Itália, a Seleção Brasileira voltou a viajar dividida para a competição. Agora, a briga era entre profissionais e amadores, e a passagem pelo torneio foi ainda mais curta. Mesmo com jogadores da qualidade de Leônidas da Silva, o Diamante Negro, o Brasil encerrou a sua participação com uma derrota na estreia, por 3 a 1 para a Espanha.

A Copa de 1938, disputada na França, marcou a primeira vitória brasileira em estreias. No jogo inaugural, a Seleção derrotou a Polônia por 6 a 5, com direito à prorrogação. Leônidas voltou a ser o destaque na equipe que terminou a competição com um honroso terceiro lugar.

A guerra interrompeu a disputa da Copa do Mundo, que só voltou a ser realizada em 1950, no Brasil. Na estreia, no Maracanã, a Seleção goleou o México por 4 a 0, mas o final acabou sendo trágico, com a derrota para o Uruguai.

Quatro anos depois, o Brasil mudou a cor da sua camisa e os seus jogadores, mas não mudou o adversário da estreia da Copa, na Suíça. E o time nacional voltou a golear o México, aplicando um convincente 5 a 0.

Pé direito

O primeiro título mundial brasileiro foi conquistado, na Suécia, e a estreia deu uma boa demonstração do poderio da equipe brasileira: 3 a 0 sobre a Áustria, com direito a gol do lateral esquerdo Nilton Santos, algo raro naqueles tempos. Foi a abertura vitoriosa de uma campanha que terminou com a consagração, goleando a anfitriã Suécia.

Em 1962, no Chile, o Brasil teve outra vez o México como adversário na primeira rodada e venceu por 2 a 0. Foi uma bela partida para a equipe que acabaria conquistando o bicampeonato mundial.

Já 1966 foi uma competição marcada pelo fracasso brasileiro, mas a estreia diante da Bulgária teve vitória. O Brasil venceu por 2 a 0, com gols marcados por Garrincha e Pelé, no último jogo em que os dois estiveram juntos na Seleção que terminou a competição na modesta 11ª posição.

Pra frente, Brasil

A conquista do tricampeonato em 1970 foi marcada por uma estreia brilhante diante da Tchecoslováquia. O Brasil goleou por 4 a 1 e deu uma demonstração da força da equipe que acabaria campeã no México.

Em 1974, na Alemanha, um time cauteloso comandado por Zagallo, não passou de um empate sem gols com a Iugoslávia. O mesmo resultado ocorreu na estreia do Mundial

de 1978, disputado na Argentina. O empate por 1 a 1 com a Suécia foi marcado pela anulação de um gol marcado por Zico, já nos acréscimos.

Só vitórias

O empate com a Suécia em 1978 foi o último tropeço de uma Seleção Brasileira em estreias nas Copas. Em 1982, na Espanha, o Brasil de Zico, Sócrates e Falcão começou com uma vitória sofrida por 2 a 1 sobre a União Soviética, mostrou um grande futebol, mas acabou caindo diante da Itália.

Em 1986, novamente no México e ainda dirigido por Telê Santana, o Brasil começou com uma vitória magra sobre a Espanha, por 1 a 0, com gol marcado por Sócrates. E acabou eliminado nos pênaltis pela França, no meio do caminho.

A Copa de 1990, sempre lembrada por seu baixo nível técnico, começou bem para o time dirigido por Sebastião Lazaroni, que derrotou a Suécia por 2 a 1. O Brasil acabaria eliminado pela rival Argentina nas oitavas de final.

Em 1994, o Brasil voltou a conquistar o título mundial depois de 24 anos de jejum. E a estreia já mostrou o potencial da equipe de Romário e Bebeto. O time comandado por Carlos Alberto Parreira venceu a Rússia por 2 a 0 na primeira partida.

Ao defender o título em 1998, na França, a equipe nacional largou com uma vitória sobre a Escócia, por 2 a 1. O que começou bem, contudo, acabou mal. O Brasil de Zagallo foi derrotado na final por 3 a 0, com show de Zidane após o episódio de convulsão de Ronaldo.

O último título e as frustrações recentes

Quatro anos depois, na Copa disputada na Coreia do Sul e no Japão, a Seleção Brasileira voltou a conquistar o título, mas o começo foi complicado. O Brasil de Luiz Felipe Scolari derrotou a Turquia por 2 a 1, em partida marcada por erros de arbitragem a favor da equipe canarinho. Houve até um pênalti assinalado sobre Luizão em lance ocorrido fora da área.

Em 2006, Parreira voltou ao comando e, mais uma vez, a Seleção Brasileira foi despachada pela França, mas a estreia foi tranquila. O Brasil derrotou a Croácia por 1 a 0, com gol de Kaká.

Em 2010, a história também acabou mal para o Brasil. A estreia da equipe comandada por Dunga foi marcada por uma vitória por 2 a 0 sobre a Coreia do Norte, mas o time canarinho acabou eliminado pela Holanda, após trapalhadas de Júlio César e Felipe Melo.

Em 2014, o Brasil estreou contra a Croácia na Arena Corinthians. Um gol contra de Marcelo deixou os canarinhos em desvantagem. Mas brilhou a estrela de Neymar, que fez dois gols e virou o marcador. Oscar completou o triunfo por 3 a 1. O Mundial terminaria de forma vexatória para a Seleção Brasileira ? vergonha que Tite tentará começar a apagar a partir do jogo contra a Suíça, neste domingo.

Gazeta Esportiva

TAGS