PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

"Não vou estar a mercê de nenhum deles (governadores)", diz presidente da CBF ao pregar sequência do futebol

Rogério Caboclo adotou um tom agressivo ao defender seu ponto para os presidentes dos clubes em reunião virtual. Ele garantiu, inclusive, que a TV Globo e os patrocinadores não querem que o futebol pare

13:22 | 23/03/2021
Rogério Caboclo, presidente da CBF (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Rogério Caboclo, presidente da CBF (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, segue defendendo que o futebol não seja paralisado. Segundo ele, quem também tem interesse em ver a bola rolando é a TV Globo, detentora dos direitos de transmissão de boa parte dos campeonatos. Conforme apurado pelo jornalista Venê Casagrande, do jornal O Dia, Caboclo adotou um tom agressivo ao defender seu ponto para os presidentes dos clubes em reunião virtual.

A reportagem do jornal teve acesso ao vídeo da reunião entre os mandatários dos clubes das séries A e B do Brasileirão com a CBF. Nele, o presidente da entidade se mostra bastante convicto em relação a continuidade do futebol, e chega a ameaçar as equipes, dizendo que os patrocinadores e a TV Globo estão com ele.

"As pessoas em casa sob bandeira vermelha, sob bandeira preta... eu não abrirei mão a não ser sob doutorado dos senhores de deixar de jogar as competições nacionais e retirar nas internacionais e incorporará as Estaduais... Então, por gentileza, vamos pensar agora: nós podemos parar o futebol? a Rede Globo não quer. Ninguém quer (parar o futebol), seus patrocinadores não querem. E se parar sabe quando nós temos a segurança de dizer que a gente pode voltar? Nunca. No dia que o Governador do Mauricio (não cita o sobrenome) disser que pode. No dia que o Prefeito de São Nunca disser que pode... Eu não vou estar a mercê de nenhum deles. Eu vou... Landim, Galiotte, todos os presidentes.. eu vou mandar no futebol brasileiro e vou determinar que vai ter competição e que vocês estão f.... se não tiver (competições)", declarou em resposta ao presidente do Palmeiras, Maurício Gailotte.

Após a fala de Caboclo, Galiotte chegou a pedir que o assunto fosse discutido posteriormente. Entretanto, parou com a discussão após a insistência do presidente da CBF. Pouco depois, o mandatário do Avaí o parabenizou pela atitude. Antes de encerrar, Rogério Caboclo, em tom autoritário, perguntou novamente se alguém era contrário a continuidade do futebol.

"Acho que todos querem a continuidade. Algum presidente aqui presente é contra a continuidade?", perguntou. Em seguida, a sala toda ficou em silêncio. Com isso, Caboclo encerrou a reunião: "Terminamos. Agora tenho algumas ligações particulares".

Sobre a reunião e a reportagem, a assessoria da Confederação respondeu ao jornal com a seguinte mensagem: “A CBF reitera que a defesa da continuidade do futebol foi posição unânime das 27 Federações e dos Clubes participantes de todas as séries do futebol brasileiro, sempre seguindo rígidos protocolos de saúde, conforme detalhado na nota oficial sobre a reunião".