PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Comissão de Ética impõe nova suspensão ao presidente do Barbalha, que será julgado pela TJDF

Dirigente já cumpre um afastamento, mas recebeu mais 60 dias do órgão nacional, que também o investiga

Brenno Rebouças
17:04 | 20/06/2020
Lúcio Barão está afastado da presidência do Barbalha desde 25 de maio (Foto: Reprodução/YouTube/Site Miséria )
Lúcio Barão está afastado da presidência do Barbalha desde 25 de maio (Foto: Reprodução/YouTube/Site Miséria )

Réu no Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol do Ceará (TJDF-CE), acusado de lavagem de dinheiro, desvio de verba do clube e fraude em apostas, o presidente do Barbalha Futebol Clube, Lúcio Barão, que está suspenso do cargo desde o dia 25 de maio, terá que ficar mais 60 dias afastado por decisão da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro.

O órgão de abrangência nacional, que também investiga Barão emitiu comunicado com a decisão na última quinta-feira, 18. O caso foi encaminhado para a Comissão de Ética pela Procuradoria do TJDF no dia 29 de maio, por entender que dentre as denúncias feitos feito vice-presidente do Barbalha, Roberto Macedo, a de envolvimento em fraudes com apostas esportivas, oriunda de uma matéria exibida no programa Fantástico, da TV Globo, engloba também clubes filiados a outras federações, por isso merecia investigação nacional.

A depender do julgamento da segunda-feira, 22, marcado para iniciar às 14 horas, o afastamento da Comissão de Ética pode não ter feito prático, já que Lúcio Barão pode até ser banido do futebol. A apreciação do processo será feita pela 1ª comissão disciplinar, portanto, o dirigente poderá recorrer da decisão.

Foram denunciados ainda o tesoureiro e o membro do Conselho do Barbalha, Gilson Alves Feitosa e Cícero Nacélio dos Santos, respectivamente.