PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

CBF reclama com clubes que pedem aporte financeiro na crise do coronavírus

Esportes O POVO procurou dirigentes cearenses para ouvir opiniões

Gerson Barbosa
14:50 | 31/03/2020
CBF teve receita recorde de quase R$ 1 bilhão em 2019, mas parte do dinheiro não pode ser usado com o futebol masculino profissional
CBF teve receita recorde de quase R$ 1 bilhão em 2019, mas parte do dinheiro não pode ser usado com o futebol masculino profissional (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Atualizada às 18h36min

Pressionada pelos clubes para ajudar financeiramente nesse período de crise do coronavírus, a CBF entrou em contato com alguns representantes de times como reação aos pedidos. A mensagem transmitida pela entidade foi para que as agremiações parassem com as reclamações para que a instituição entrasse com dinheiro para ajudar. As informações são do blog De Primeira do UOL.

Segundo a publicação desta terça-feira, 31, o secretário geral da entidade, Walter Feldman, foi o mensageiro e alguns clubes receberam essa ligação. O Esportes O POVO apurou que essa mensagem não chegou ao grupo de presidentes que lutam por um aporte financeiro e já preparam carta para ser enviada à CBF com o pedido. Essa associação já conta com 204 representantes de agremiações que disputam as primeira divisões de estaduais com exceção dos times da Série A do Brasileiro. Eles reivindicam R$ 75 mil mensais por dois meses à CBF.

Lúcio Barão, presidente do Barbalha e um dos que estão à frente desse projeto, falou ao Esportes O POVO que "quem tem que exigir algo são os clubes". "A CBF tem milhões e está reclamando, imagina a gente que não tem nada. Quem tem que reclamar e exigir algo somos nós que pagamos taxas, borderôs caríssimos, anuidades... ou ela quer que o futebol dos pequenos acabe?", disparou o dirigente, que confirmou que o grupo não recebeu essa ligação da CBF, mas que mesmo assim a "mensagem foi dada".

Em entrevista ao programa Bandsports Online nesta segunda-feira, 30, o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, se posicionou a favor do aporte financeiro da CBF e falou que "não teme represália" da entidade. "Acho que tem que ter ajuda sim da CBF. Eu não vou deixar de falar isso, porque é a minha opinião. Falo respeitosamente, como sempre falei com a CBF. Não vou deixar de me expressar. Não temo represália, acho que vivemos em um país democrático. Acredito na seriedade e na idoneidade da entidade que acho ser bem dirigida", expressou-se o dirigente tricolor.

No caso do Ceará, o presidente Robinson de Castro disse "não ter nada para comentar sobre o assunto". Newton Filho, do Ferroviário, disse que não recebeu nenhuma reclamação da CBF, mas reitera importância da ajuda. "Espero sensibilidade por parte da CBF com relação aos clubes nesse momento difícil. Clubes da Série C, por exemplo, só têm ajuda em logística e as receitas não advém de cotas, mas de outros mecanismos que só funcionam com bola rolando, coisa impossível nesse momento", falou ao Esportes O POVO

A CBF anunciou receita recorde em 2019, com R$ 957 milhões. Marcelo Paz, ao Bandsports Online, disse que conversou com o secretário geral Walter Feldman sobre esse dinheiro, e o representante da entidade explicou que boa parte desse dinheiro nem pode ser utilizado para o futebol masculino profissional. Uma nova reunião do Conselho Nacional de com a instituição deve acontecer nesta terça-feira, 31.

VEJA MAIS: Futcast #91 - Os impactos do coronavírus no futebol cearense

Listen to "#91 - Coronavírus: O impacto no Futebol Cearense" on Spreaker.