PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Revoltado com amistoso do Brasil, Romário detona CBF: "quer fazer 1 bilhão no caixa"

O "baixinho" usou as redes sociais para criticar a gestão da CBF sobre os jogos da seleção brasileira

14:12 | 10/10/2019
Brasil e Senegal ficaram no empate em 1 a 1, em Cingapura
Brasil e Senegal ficaram no empate em 1 a 1, em Cingapura(Foto: Roslan RAHMAN/AFP)

O senador e ex-jogador Romário utilizou as redes sociais para criticar a gestão Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre os jogos da seleção brasileira. O baixo público presente no amistoso entre Brasil e Senegal, em Cingapura, foi o principal alvo das críticas do campeão mundial em 1994 com a camisa da Canarinho.

As arquibancadas vazias no Estádio Nacional de Cingapura chamaram a atenção. Com capacidade de 55 mil lugares, o público total registrado no borderô foi 20.261 pessoas. Os amistosos da seleção são agenciados pela empresa ISE até 2022 e têm sido bastante contestados pelo nível dos adversários e os locais escolhidos. A CBF fatura alto a cada jogo marcado: cerca de US$ 1 milhão.

"Quantos torcedores devem ter neste jogo do Brasil? R$ 5 mil??? Vergonha!", questionou Romário em publicação no Facebook. "Será que estamos todos hipnotizados pelos shows de ilusionismo da CBF? Cadê a alma da Seleção Brasileira? O que foi feito do sentimento do torcedor brasileiro? Para que servem partidas como essa? Para atingir meta? Para enganar quem?", continuou.

"A CBF quer fazer 1 bilhão no caixa! Quanta diferença! Ainda tiram os melhores jogadores dos clubes brasileiros pra deixá-los na reserva", criticou o senador.

Brasil e Senegal empataram em 1 a 1. A seleção brasileira balançou as redes com Roberto Firmino, enquanto os africanos fizeram com Famara Diédhiou, de pênalti.

Publicação na íntegra de Romário: