PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Em carta, Argentina faz duras críticas a juiz e reprova presença de Bolsonaro

A nota foi endereçada ao presidente da Conmebol Alejandro Domínguez

21:58 | 03/07/2019
Messi é o camisa 10 da Argentina
Messi é o camisa 10 da Argentina (Foto: RODRIGO BUENDIA)

A Associação de Futebol Argentino (AFA) mandou uma carta com seis páginas de extensão à Conmebol no final da tarde desta quarta-feira, reclamando da arbitragem do equatoriano Roddy Zambrano na semifinal da Copa América, contra o Brasil, no Mineirão. Citando até a “volta olímpica” do presidente Jair Messias Bolsonaro no intervalo, a federação assegurou que seus jogadores voltaram para casa “desiludidos”.

Endereçada ao presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, a nota começa citando uma pretensa aproximação da AFA com a entidade reguladora do futebol no continente. São usados termos como “refundação” e “crise de credibilidade” para citar o momento do esporte no continente antes de se começar a elencar as críticas a respeito da atuação do juiz.

“Lamentavelmente, o que ocorreu na partida entre Argentina e Brasil merece uma profunda reflexão sobre os princípios de ética, lealdade e transparência que você (Domínguez) sempre invoca”, afirma o texto, sem aliviar nas reclamações a respeito das decisões da arbitragem. “Ficou claro que a Argentina foi prejudicada durante todo o jogo e, principalmente, nos dois lances de pênalti em que o VAR não foi utilizado”, segue a carta.

As jogadas citadas se deram no segundo tempo da partida. Na primeira, com o placar em 1 a 0, Aguero cai após contato com Daniel Alves e reclama de pênalti. No contra-ataque, Gabriel Jesus fez a jogada que terminou no gol de Roberto Firmino. Na segunda, Otamendi caiu após trombada com Arthur em cobrança de escanteio e também pediu a penalidade.

Na sequência, a presença de Bolsonaro no estádio e no gramado, com uma volta olímpica no intervalo, é citada como uma violação das normas da Fifa, que impede manifestações políticas nas partidas pelas suas competições, sob pena de sanção a quem as fizer.

“Concretamente, a imprudência na condução da arbitragem gerou um ambiente evitável antes do jogo, agravado pela presença do presidente do Brasil Jair Bolsonaro no estádio, que não passou despercebida por jogadores, dirigentes e o público em geral, já que foram evidentes suas manifestações políticas durante o desenrolar do jogo, não podendo deixar de mencionar que no intervalo deu uma verdadeira volta olímpica no estádio”, observou.

A AFA ainda cita atuações anteriores de Zambrano em jogos envolvendo clubes brasileiros, dando como exemplo o duelo entre Talleres e São Paulo. “Juiz passivo com as inúmeras jogadas violentas do São Paulo”. No fim, a AFA cita que 80% dos jogadores convocados jogaram sua primeira Copa América e deixaram a competição “descrentes e desiludidos que o futebol sul-americano esteja mudando”, concluiu.

 

Gazeta Esportiva