PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Somente nove dos 20 clubes da Série A se manifestaram sobre o Dia do Orgulho LGBT. Cearenses silenciaram

Ceará explicou que adota postura de não se manifestar com alguns temas, enquanto o Fortaleza apenas confirmou que não faria referência à data

22:05 | 28/06/2019
Atlético-CE foi o único clube cearense a se manifestar sobre o Dia do Orgulho LGBT
Atlético-CE foi o único clube cearense a se manifestar sobre o Dia do Orgulho LGBT(Foto: DIPTENDU DUTTA / AFP)

Menos da metade dos vinte clubes que formam a elite do futebol brasileiro em 2019 se manifestaram publicamente sobre o Dia Internacional do Orgulho LGBT, celebrado no dia 28 de junho. Dentre os que não fizeram referência à data estão os dois representantes cearenses.

Ceará e Fortaleza não publicaram nenhuma mensagem ou peça em suas redes sociais durante todo o dia. O POVO procurou a assessoria de comunicação dos dois clubes para falar sobre o assunto. A do Vovô informou que “O clube não se manifesta sobre ideologia, política e questões de gênero”, já a do Leão apenas confirmou que não haveria manifestação sobre o tema.

O Alvinegro adotou a mesma postura de silêncio do dia 17 de maio, quando também não se manifestou sobre o Dia Internacional de Combate à LGBTfobia. Já o Tricolor foi na contramão do que fez no mês passado, quando se posicionou.

Os dois engrossam a lista das agremiações que não fizeram referência à data, ao lado de CSA, Palmeiras, Corinthians, Santos, Atlético-MG, Athletico-PR, Chapecoense, Cruzeiro e Goiás.

Por outro lado, São Paulo, Fluminense, Flamengo, Vasco, Botafogo, Avaí, Grêmio, Internacional e Bahia não deixaram o Dia do Orgulho LGBT passar em branco e fizeram postagens em suas redes sociais.

Representação

Apesar de Ceará e Fortaleza adotarem o silêncio, o futebol cearense não ficou totalmente alheio à data. O Atlético-CE, único do Estado que tem na presidência uma mulher, publicou sobre o tema logo pela manhã.

“O futebol, ambiente de grande representatividade da nossa sociedade, precisa ser exemplo de empatia e também de quebra de paradigmas”, dizia a mensagem publicada pela Águia da Precabura.

O Povo