PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Aumento de receitas: Ceará e Fortaleza chegam até a duplicar valor nas últimas duas temporadas

Vovô teve crescimento de 103%, enquanto o Leão registrou 80%. Os dados são da pesquisa exclusiva realizada pela BDO

20:52 | 18/06/2019
Clubes registram aumento de receita no comparativo de 2017 com 2018
Clubes registram aumento de receita no comparativo de 2017 com 2018(Foto: Mateus Dantas em março de 2019)

Ceará e Fortaleza tiveram aumentos significativos em suas receitas nas duas últimas temporadas, chegando até a duplicar a arrecadação. Os dados são da pesquisa exclusiva realizada pela BDO, que fez um levantamento sobre os clubes das Séries A e B.

+ Centroavante Tiago Marques, ex-Juventude, está no radar do Ceará para Série A

O Alvinegro do Porangabuçu registrou receita, conforme a BDO, de R$ 31,9 milhões em 2017, quando disputou a Série B e conquistou o acesso. Em 2018, já na elite do futebol nacional, o Vovô saltou para R$ 64,7 milhões, tendo um crescimento de 103%.

+ Boeck se pronuncia após boatos sobre sua saída e garante permanência no Fortaleza

O Leão do Pici também disputou divisões diferentes nas duas últimas temporadas e fechou as receitas com aumento de 80%. Em 2017, na Série C, o Tricolor arrecadou R$ 22,4 milhões. No ano de 2018, na Segundona, o clube cearense terminou o balanço com R$ 40,2 milhões.

Conforme a BDO, as principais fontes de receitas dos clubes analisados são as cotas de TV e as transferências de atletas. A pesquisa conclui ainda que as receitas de patrocínio das equipes da Série A diminuíram de maneira não significativa, entretanto, com a saída da Caixa Econômica Federal (CEF) o reflexo será percebido em 2019 para as agremiações que não conseguirem o patrocínio master.

Ceará e Fortaleza estão entre os clubes que eram patrocinados pela CEF e perderam o patrocínio com a saída do banco do mercado da bola. O Leão anunciou o seu novo patrocinador master no início deste mês, o banco Digi+. O Vovô ainda não possui.

Endividamento

Os dois principais clubes cearenses também apresentaram aumento no endividamento líquido. O Ceará registrou crescimento de 20%, enquanto o Fortaleza, 4%.

O Alvinegro terminou a temporada de 2017 com endividamento de R$ 5,3 milhões e passou para R$ 6,4 milhões, em 2018. O Tricolor saiu de dívida de R$ 23,6 milhões, em 2017, para R$ 24,5 milhões.

VEJA MAIS | Pausa na Copa América: contratações e ajustes necessários no Ceará e Fortaleza

Listen to "#58 - Pausa da Copa América: contratações e ajustes necessários no Ceará e Fortaleza" on Spreaker.