PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Quem são as seleções favoritas para vencer a Copa América 2019?

Brasil, Argentina e Uruguai dividem favoritismo na disputa pela taça da Copa América. Chile, atual campeão, e Colômbia correm por fora

09:20 | 14/06/2019
Messi é o camisa 10 da Argentina
Messi é o camisa 10 da Argentina (Foto: RODRIGO BUENDIA)

Mesmo sem Neymar e com questionamentos ao trabalho do técnico Tite, o Brasil encabeça a lista de favoritos da Copa América 2019. Com o apoio do torcedor e a qualidade do elenco, a seleção brasileira pode encerrar o jejum de 12 anos sem levantar a taça da competição. O escrete Canarinho mescla atletas experientes e consagrados no futebol internacional com jovens referências em seus clubes na Europa.

Para ficar com o título, Tite conta com nomes como o goleiro Alisson, o lateral Daniel Alves, o zagueiro Marquinhos e o atacante Roberto Firmino. Entre os jovens que despontam na equipe, o volante Arthur, do Barcelona, e o atacante David Neres, do Ajax, que ficará com a vaga deixada por Neymar no time titular.

Junto ao Brasil, a Argentina liderada por Lionel Messi tenta acabar com a sina da geração sem títulos. São 26 anos de resultados negativos na seleção principal. A Copa América foi justamente a última conquista dos hermanos, em 1993. A pressão diante de derrotas amargas fez com que a estrela da Albiceleste anunciasse que não jogaria mais pela seleção. O novo torneio marca o retorno dele à equipe.

O meia Di Maria, um dos principais jogadores da Argentina, confirma o favoritismo da seleção. "Somos a Argentina e temos Messi, é difícil não sermos favoritos", ressaltou em entrevista ao jornal Olé.

Mas ponderou diante do retrospecto negativo de seguidas decepções. "Hoje em dia, as seleções estão muito equilibradas. Se você não der a vida em campo, fica difícil. Para conquistarmos este título teremos de dar mais do que 100%."

O Uruguai, da dupla de ataque Cavani e Suárez, completa a lista dos três principais favoritos para vencer a Copa América. A Celeste é a maior campeã do torneio centenário com 15 títulos, seguido por Argentina, 14, e Brasil, oito.

Correndo por fora, o Chile tenta o "tri". Apesar de vir de dois títulos seguidos na competição (2015 e 2016), os atuais campeões chegam à Copa América no Brasil em baixa. O retrospecto negativo do time inclui a não classificação para a Copa do Mundo na Rússia. O principal jogador da seleção, Alexis Sánchez, teve uma fraca temporada no Manchester United e foi atrapalhado por lesões.

Na mesma prateleira do Chile, a Colômbia busca surpreender no Brasil. A seleção colombiana aposta suas fichas em jogadores experientes como Falcao García, James Rodriguez e Cuadrado.

Lucas Mota