PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Especialista em linguagem corporal analisa discursos de Neymar e Najila

Quando comenta sobre o camisa 10 do Paris Saint-Germain e da Seleção Brasileira, o que mais chama a atenção é a segurança que Neymar transmitiu no início do vídeo.

22:02 | 07/06/2019
Imagem da modelo durante a entrevista ao SBT
Imagem da modelo durante a entrevista ao SBT(Foto: Reprodução)

Vitor Santos é um especialista em linguagem corporal e tem um canal no Youtube, chamado Metaforando. O perito fez duas análises sobre o Caso Neymar. Primeiro, avaliou o vídeo que o jogador gravou no Instagram, na qual expôs toda a conversa que teve com a modelo por aplicativo de mensagem. A segunda análise está calcada na entrevista da mulher que o acusa de estupro ao SBT.

Quando comenta sobre o camisa 10 do Paris Saint-Germain e da Seleção Brasileira, o que mais chama a atenção é a segurança que Neymar transmitiu no início do vídeo. De acordo com Vitor Santos, em nenhum momento o atleta titubeia, ficando claro ao dizer: “Estou sendo acusado de estupro”.

Além disso, o jogador expôs raiva, segundo o perito. Logo em seguida quando afirma: “Quem me conhece sabe”, Neymar estaria tentando transmitir honestidade, como se jamais fosse capaz do ato. Entretanto, tropeça ao pausar demais em sua fala, mostrando ansiedade e um descontrole emocional, de acordo com Vitor Santos.

Em resumo, o atacante se mostrou com medo, teve picos de ansiedade, e não foi direto em alguns pontos, além de temer quando comenta a acusação. O camisa 10 só fala em estupro, por exemplo, apenas no início. Em outros momentos, opta por dizer que não é capaz do ato, sem citar o nome.

Em contrapartida, Najila Trindade passa a ideia de uma pessoa indefesa, com a roupa que utiliza na entrevista ao SBT, uma camiseta simples, porém estampada e sem o uso de decote. A modelo tenta em grande parte de sua fala confirmar o discurso, pois, jamais tira o olho do entrevistador.

Ainda assim, ela sente raiva ao comentar sobre Neymar, além de utilizar termos de linguagem popular para descrever a agressão. Apesar disso, a modelo se atropela na linha de raciocínio, de acordo com o perito, especialmente ao montar a linha narrativa.

Gazeta Esportiva