PUBLICIDADE
Futebol
Acordo

Clubes vão receber patrocínio maior do Governo; Castelão agora tem taxa única de aluguel

Governador do Estado recebeu os presidentes de Ceará e Fortaleza em seu gabinete para falar sobre apoio financeiro e gestão do Castelão

15:48 | 13/03/2019
Camilo (ao centro), recebeu Robinson de Castro e Marcelo Paz (à direita)
Camilo (ao centro), recebeu Robinson de Castro e Marcelo Paz (à direita)

Em reunião com os presidente de Ceará e Fortaleza, na terça-feira, 12, o governador Camilo Santana confirmou apoio financeiro do Governo do Estado aos clubes cearenses que vão disputar o Campeonato Brasileiro de 2019. Os valores serão registrados no Diário Oficial e vão exigir contrapartidas sociais das agremiações esportivas.

Não está definido ainda quanto será pago a cada clube, mas os dirigentes informaram que os valores serão superiores aos do patrocínio de 2018. Por estarem na mesma divisão do Brasileiro, a Série A, Fortaleza e Ceará receberão cotas iguais. Isso significa que cada um vai receber mais de R$ 1.5 milhão, já que este foi o valor concedido ao Vovô ano passado, quando era o único representante cearense na elite do futebol nacional.

O Ferroviário está na Série C e deve receber um valor acima de Atlético-CE e Floresta, ambos da Série D. Em 2018, o Tubarão da Barra e o Guarani de Juazeiro receberam patrocínio de R$ 350 mil, cada.

De acordo com a Secretaria do Esporte do Ceará (Sesporte), o modelo de patrocínio for o mesmo de 2018, o dinheiro será distribuído aos clubes em duas parcelas iguais, sendo que a segunda só é recebida se a prestação de contas da primeira for aprovada. O patrocínio do Governo não poderá ser utilizado para pagamento de folha, devendo ser investido na base ou pagamento de despesas de transporte, alimentação e afins. Uma conta específica será criada para cada clube receber o repasse. 

Castelão

Outro assunto colocado em pauta por Ceará e Fortaleza junto ao governador foi a administração do Castelão por eles próprios em dias de jogos. Os dirigentes pediram o estabelecimento de uma taxa fixa e única para uso do equipamento e a possibilidade de explorar comercialmente toda a praça esportiva.

Ficou acertado que o único valor que será pago daqui pra frente será 13% da renda bruta de cada jogo. Não haverá mais porcentagens sobre bares e estacionamento. Os clubes poderão explorar também os camarotes e fazer ações em dias de jogos nas dependências do Castelão. Para isso, antes de cada jogo será assinado um contrato entre clube e Governo. O equipamento precisará ser devolvido nas mesmas condições em que foi cedido.

“O Governador foi muito sensível ao pedido dos clubes, se colocou como parceiro e quer que os ambos permaneçam na Séria A, entendendo que isso é importante para a economia do Estado, para a autoestima do nosso povo. Foi muito atencioso”, disse o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz.

O Esportes O POVO tentou contato com o presidente do Ceará, Robinson de Castro, por duas vezes, mas o dirigente informou que estava participando de uma reunião e por isso não poderia falar.

BRENNO REBOUÇAS