PUBLICIDADE
Esportes
confusão à vista

Conmebol pode protagonizar novo escândalo na Libertadores e Sul-Americana

Nova polêmica na maior competições de clubes da América do Sul

19:58 | 20/02/2019
Conmebol pode protagonizar novo escândalo na Libertadores (Foto: AFP)
Conmebol pode protagonizar novo escândalo na Libertadores (Foto: AFP)

Assim como na última temporada, a Libertadores de 2019 pode ser manchada com um escândalo, dessa vez em maiores proporções. Nesta quarta-feira, nove dias após a Conmebol punir o Barcelona de Guayaquil por inscrever um jogador fora do prazo, o canal argentino Tyc Sports revelou que ao menos 20 clubes cometeram o mesmo erro tanto no principal torneio do América do Sul quanto na Copa Sul-Americana.

No dia seis de fevereiro, o Barcelona de Guayaquil derrotou o Defensor por 2 a 1 na partida de ida da segunda fase da Pré-Libertadores. Os uruguaios, entretanto, entraram com um recurso reclamando da escalação irregular do meio-campista Sebastian Pérez, a Conmebol aceitou e o placar foi alterado para 3 a 0. Sem conseguir reverter o duelo na volta, os equatorianos acabaram eliminados da competição.

Segundo a publicação, a Conmebol modificou o prazo de entrega das listas de inscritos para as partidas da Copa Sul-Americana e Libertadores a partir deste ano, mas várias equipes, de diferentes federações, enviaram suas relações fora do período estipulado, como aconteceu com o time de Guayaquil, que registrou Pérez a menos de 48 horas da partida.

Diante de tantas equipes que cometeram esse erro, a entidade responsável por organizar as competições da América do Sul deve aliviar e não impor sanções que interfiram dentro de campo, optando por multas, ou seja, não seguirá os mesmos critérios utilizados para penalizar o time equatoriano com uma derrota por 3 a 0. De acordo com o Tyc Sports, nenhum clube argentino corre risco de ser punido, uma vez que todos registraram seus jogadores no prazo estabelecido.

Dois pesos, duas medidas

Critérios específicos para se punir uma equipe não é novidade para a Conmebol. Na última temporada, Carlos Sánchez atuou no empate do Santos contra o Independiente de forma irregular, já que estava suspenso. Com isso, a entidade máxima do futebol sul-americano penalizou o Peixe com um revés de 3 a 0, fundamental para a eliminação da equipe.

Na mesma Libertadores, River Plate e Boca Juniors, finalistas, também escalaram jogadores de maneira irregular, mas como os adversários não fizeram a denúncia dentro de 48 horas após a partida, nenhuma sanção foi imposta.

O Povo