PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Real Madrid joga mal, mas supera lanterna e encosta nos primeiros colocados

Venceu, mas não convenceu. Assim se resume a atuação e a vitória do Real Madrid sobre o lanterna do Campeonato Espanhol, Huesca, neste domingo, por 1 a 0. Jogando fora de casa, no Estádio Al Alcoraz, enquanto o Santiago Bernabéu recebe a decisão da Libertadores, os merengues nem de longe tiveram uma atuação convincente, mas [?]

14:15 | 09/12/2018

Venceu, mas não convenceu. Assim se resume a atuação e a vitória do Real Madrid sobre o lanterna do Campeonato Espanhol, Huesca, neste domingo, por 1 a 0. Jogando fora de casa, no Estádio Al Alcoraz, enquanto o Santiago Bernabéu recebe a decisão da Libertadores, os merengues nem de longe tiveram uma atuação convincente, mas com um gol logo no início de Gareth Bale triunfaram, assumiram a quarta posição com 26 pontos e encostaram nos líderes.

Os primeiros 45 minutos foram de completo domínio do Real Madrid. Mesmo fora de casa, os merengues iniciaram a partida pressionando a saída de bola do Huesca, criando chances de perigo e abrindo o placar logo aos sete minutos com Gareth Bale, que aproveitou o cruzamento de Odriozola. Sem conseguir se sobressair ofensivamente, os mandantes assustaram apenas uma vez, aos 16, com Ávila, que parou em Courtois.

Se a primeira etapa foi conduzida com muita tranquilidade pelo Real, o segundo tempo começou com o Huesca tomando a iniciativa e assustando em duas chances consecutivas. Na primeira delas, Molero errou o cabeceio frente a frente com Courtois. Na segunda, o chute desviou na zaga. Aos poucos, porém, os merengues retomaram o controle do jogo, até criaram perigo, mas pecaram na má precisão.

Agora, o Real Madrid terá pouco tempo para comemorar o triunfo conquistado neste domingo, já que volta a campo na próxima quarta-feira, pela Liga dos Campeões, para enfrentar o CSKA Moscou. Por estar classificado, porém, as expectativa é de que Solari poupe as principais estrelas merengues. O Huesca, por sua vez, retorna aos gramados no próximo domingo, para enfrentar o Villarreal pelo Campeonato Espanhol.

O JOGO

Avassalador. Assim foi o início do Real Madrid frente ao Huesca. Desde o apito inicial, os merengues pressionaram a saída de bola do adversário, tomaram conta das ações ofensivas e, aos sete minutos, abriram o placar com Gareth Bale. Após cruzamento do jovem lateral Odriozola, o atacante galês, livre, emendou o belo chute de perna esquerda para impôr a vantagem.

Com a vantagem, o Real diminuiu a pressão inicial e passou a dar mais espaço para as investidas ofensivas do Huesca, que aos 16 minutos só não empatou por conta de Courtois. Ferreiro recebeu a bola pela esquerda, cruzou para área, mas Moi Gómez não conseguiu o domínio. Mesmo assim, o jogador girou e abriu para Ávila, que obrigou grande intervenção do arqueiro belga.

Aos poucos, a intensidade da partida também caiu. Com pouca criatividade ofensiva, o Huesca não se sobressaiu diante do Real e tornou Courtois um mero espectador. Os merengues, por sua vez, mantiveram o controle do jogo, utilizaram muito o poderio de seus jogadores de lado de campo, mas pecaram na precisão para ampliar a vantagem antes do intervalo.

Diferentemente da primeira etapa, o início do segundo tempo teve o Huesca como protagonista. Precisando do resultado para deixar a lanterna isolada, os donos da casa criaram duas chances consecutivas nos primeiros cinco minutos. Na primeira, Molero completou o cruzamento do lado esquerdo, cabeceou em direção ao chão, mas a bola saiu para fora. Depois, em nova jogada pelo alto, Carvajal apareceu de forma providencial para cortar  jogada.

Diante do fraco início de segundo tempo do Real, Solari promoveu as primeiras mudanças no time, que pareceram surtir efeito principalmente no aspecto ofensivo. Aos 15 minutos, por exemplo, Bale puxou o contra-ataque e arriscou de fora da área, obrigando boa defesa de Jovanovic. A resposta do Huesca, porém, veio na sequência, mas o cruzamento Melero desviou na defesa.

Aos 24 minutos, o Real Madrid criou sua melhor chance no segundo tempo, mas Bale parou em grande defesa de Jovanovic. Após lançamento em profundidade de Isco, que substituiu Modric, o camisa 11 de País de Gales dominou, tomou a frente do zagueiro e saiu cara a cara com o goleiro, mas a cavadinha teve o toque do arqueiro, que colocou para escanteio.

Na reta final, o Huesca não só esboçou uma reação, como criou muito perigo ao Real, mas não conseguiu ser efetivo para empatar a partida, contando com boas defesas de Courtois e intervenções da defesa dos atuais campeões da Champions. Os visitantes, inclusive, pouco assustaram, confirmando o triunfo que colocou o time na quarta posição, com 26 pontos, e cinco atrás do líder Barcelona.

Gazeta Esportiva

TAGS