PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Superclásico: decisão da Libertadores entre River x Boca acontece neste sábado

Considerado por muitos a maior final da história da Libertadores, confronto acontece no Monumental de Nuñéz em Buenos Aires; partida de ida foi 2 a 2

Gerson Barbosa
16:57 | 23/11/2018
NULL (Foto: )
NULL (Foto: )
[FOTO1] O ano da Libertadores de 2018 se encerra neste sábado, 24, quando River Plate e Boca Juniors se enfrentarem no Monumental de Nuñéz em Buenos Aires. Após empate por 2 a 2 na Bombonera há duas semanas, as duas equipes se enfrentam novamente para decidir o que muitos consideram a maior final da competição. Não tem gols fora de casa como critério. 

O jogo ganha essa proporção por dois motivos: nunca esses rivais se enfrentaram nesta fase do certame continental e porque é a última vez em que a final é dividida em jogos de ida e volta. A partir do ano que vem, será partida única, com a primeira sede em Santiago, capital do Chile. 

Neste texto, você pode conferir algumas informações importantes do Superclásico. 

PROVÁVEIS ESCALAÇÕES

River Plate: Armani; Montiel, Maidana, Pinola, Casco; Palacios, Ponzio, Enzo Pérez, Pity Martínez; Rodrigo Mora (Juan Quintero) e Pratto

Os três pilares dessa possível escalação: Armani, considerado por muitos o melhor goleiro em atuação no continente sul-americano; Pity Martínez, o camisa 10 do time, a cabeça pensante e jogador que pode ser fundamental em momentos de transição e criação de jogadas; Lucas Pratto, conhecido dos brasileiros, o atacante tem faro de gol e já mostrou no primeiro jogo. As principais baixas ficam por conta dos atacantes Scocco e Borré. 

Boca Juniors: Andrada; Buffarini, Magallán, Izquierdoz, Olaza; Nández, Barrios, Pérez; Tévez, Ábila e Benedetto.

Os principais nomes dessa possível escalação: Tévez, por todo o seu histórico como jogador e idolatria que tem pela torcida do Boca; Barrios, que faz uma grande Libertadores no sentido defensivo, sendo um pilar fundamental para a campanha vitoriosa do time até agora; Benedetto, o carrasco palmeirense marcou três gols nesta edição do torneio, sendo dois nas semis e um na partida de ida da final. Ele entende e jogo grande. A principal baixa fica por conta de Pavón, machucado no primeiro duelo. 

HISTÓRICO DE CONFRONTOS NA LIBERTADORES

Se essa é a primeira vez que eles se enfrentam nas finais, em outras fases não é inédito. Pela Copa Libertadores, foram 25 confrontos, sendo 10 vitórias do Boca, sete do River e oito empates. Ao todo, foram 30 gols do xeneizes e 21 dos millionarios. Portanto, o 26º duelo entre as duas partes será o maior da história. 
 
ATMOSFERA EM BUENOS AIRES
 
Nesta semana, o Boca abriu o treino de quinta-feira, 22, para que seus torcedores pudessem demonstrar apoio ao clube. O que não se esperava - possivelmente - é que 80 mil pessoas apareceriam na Bombonera, que tem capacidade para pouco mais de 50 mil. Houve confusão do lado de fora e muitos adeptos não entraram no estádio. 
 
A ministra de segurança da Argentina, Patricia Bullrich, usou o acontecimento como forma de alertar às autoridades para um possível descontrole. "Não podemos pensar só no jogo, mas também nas comemorações. O que aconteceu na Bombonera foi inaceitável e inconveniente. Era impossível estar em um lugar repleto de gente sem saber quem entrava e quem ficava fora. Estamos diante de um acontecimento importante e é necessário pensar em tudo para evitar uma tragédia", declarou ao canal de TV TN. 
 
O ambiente, a atmosfera, a paixão dos torcedores e dois gigantes do futebol sul-americano. Tudo pronto para o confronto das 17h, no horário de Fortaleza, deste sábado, 24. E que os torcedores comemorem de maneira moderada. O futebol é quem ganha com isso. 
TAGS