PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Recebida com festa, França domina e vence a Holanda pela Liga das Nações

Com o presidente Emmanuel Macron presente, a França foi recebida com festa no Stade de France após a conquista da Copa do Mundo e retribuiu a celebração com uma vitória. Neste domingo, em partida válida pela Liga A da Liga das Nações, os comandados de Didier Deschamps dominaram a Holanda durante toda a partida e [?]

17:45 | 09/09/2018

Com o presidente Emmanuel Macron presente, a França foi recebida com festa no Stade de France após a conquista da Copa do Mundo e retribuiu a celebração com uma vitória. Neste domingo, em partida válida pela Liga A da Liga das Nações, os comandados de Didier Deschamps dominaram a Holanda durante toda a partida e conseguiram o triunfo por 2 a 1.

Os tentos da partida, válida pela segunda rodada da nova competição europeia, foram marcados pela jovem estrela Kylian Mbappé e Olivier Giroud, encerrando seu jejum, em favor dos donos da casa, além de Babel, para os visitantes. Em sua estreia na disputa, os franceses ficaram somente no empate sem gols com a Alemanha.

A França só volta aos gramados pela Liga das Nações no dia 16 de outubro, novamente contra a Alemanha, no Stade de France. A Holanda também tem seu próximo compromisso marcado diante dos germânicos, mas o duelo será no dia 13 do mês que vem.

O jogo ? Os primeiros dez minutos de partida foram de total pressão dos campeões do mundo. No primeiro lance de jogo, Mbappé exigiu boa defesa de Cillessen; aos nove, o atacante do PSG teve a oportunidade em cabeceio, mas novamente parou no arqueiro; por fim, Lucas Hernandez arriscou de longe, mas não colocou força na bola, deixando a vida do goleiro holandês fácil. A única chance da Holanda veio pelos pés de Promes, em chute que passou triscando a trave de Areola.

Quando o relógio da etapa inicial marcava 13 minutos, a França inaugurou o marcador. Após bate e rebate na área, Matuidi aproveitou vacilo da defesa holandesa, que recuou mal a bola, para somente cruzar rasteiro e servir Mbappé na cara do gol: 1 a 0 e festa da torcida presente no Stade de France.

A superioridade dos comandados de Didier Deschamps não cessou após o tento. Com muito mais posse de bola e número de finalizações, os donos da casa quase fizeram o segundo em nova finalização de Lucas Hernandez: o lateral recebeu bela bola de Griezmann, por detrás da defesa, mas mandou por cima da meta defendida por Cillessen.

Depois do domínio mandante no embate e o tento inaugural, o jogo deu uma esfriada. Mesmo sem o mesmo ímpeto ofensivo, a França conseguiu conter a seleção adversária, que sequer teve uma finalização em direção ao gol de Areola no primeiro tempo.

Na etapa final, a Holanda não esboçava nenhuma recuperação no confronto até a marca de 20 minutos, quando Wiijnaldum recebeu na entrada da área, avançou livre e chutou para a fora. O surpreendente tento holandês, entretanto, viria logo em seguida.

Depois de bela jogada trabalhada, Tete avançou pela direita em velocidade. O camisa 2 holandês cruzou na medida para dentro da área, onde a bola encontrou o atacante Babel, que foi de encontro a bola. Areola não conseguiu fazer a defesa à queima-roupa e o placar ficou igualado.

Pouco depois, a justiça confirmou-se no confronto e a França voltou à frente do placar. Mendy cruzou para a área e Giroud, que não marcou sequer um gol na campanha vitoriosa da Copa do Mundo, conseguiu pôr fim a sua seca: 2 a 1 e vitória garantida.

Confira os outros resultados deste domingo da Liga das Nações

Liga B

Ucrânia 1 x 0 Eslováquia

Dinamarca 2 x 0 País de Gales

Liga C

Bulgária 1 x 0 Noruega

Chipre 2 x 1 Eslovênia

Liga D

Geórgia 1 x 0 Letônia

Macedônia 2 x 0 Armênia

Liechtenstein 2 x 0 Gibraltar

Entenda a competição

Esta é a primeira edição da Liga das Nações da Uefa. São 55 países participantes que se dividem em quatro ligas (A, B, C e D), tomando como base o ranking da Uefa. As mais fortes estão na Liga A, exemplo de Alemanha, França, Portugal, Espanha, Inglaterra e Croácia, que ainda se separam em quatro grupos diferentes (1, 2, 3 e 4).

Após seis rodadas de confrontos internos em cada grupo, os que mais pontuarem em seus grupos vão às semifinais, ou seja, somente uma seleção de cada chave se classificará, e os vencedores jogarão a grande final, que deve ser disputada em junho de 2019. As equipes que tiverem o pior desempenho em cada grupo serão rebaixadas para a Liga das Nações B a partir de 2020, e assim sucessivamente com as outras divisões da Liga (B, C e D).

Além do título, a competição será uma parte da classificação para a Euro 2020, já que cada seleção melhor colocada em cada divisão poderá jogar a repescagem (caso já tenha se classificado, o segundo melhor posicionado fica com a vaga). Isso também é válido para as divisões B, C e D, ou seja, seleções modestas como Kovoso e Bielorrússia terão maior chance de estar na principal competição entre seleções do continente.

Gazeta Esportiva

TAGS