PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Presidente da Chapecoense visita monumento histórico do Torino

Apesar de terem suas sedes a milhares de quilômetros de distância, Chapecoense e Torino tem um episódio muito semelhante em suas histórias. Com isso, em meio às homenagens feitas pelo time italiano ao clube brasileiro, o presidente do time catarinense, Plinio De Nes Filho, visitou o monumento localizado em Superga,que homenageia os mortos na tragédia de 1949, quando [?]

17:30 | 03/08/2018

Apesar de terem suas sedes a milhares de quilômetros de distância, Chapecoense e Torino tem um episódio muito semelhante em suas histórias. Com isso, em meio às homenagens feitas pelo time italiano ao clube brasileiro, o presidente do time catarinense, Plinio De Nes Filho, visitou o monumento localizado em Superga,que homenageia os mortos na tragédia de 1949, quando o avião que transportava os jogadores e comissão técnica da equipe de Turim caiu e não deixou nenhum sobrevivente.

Durante a visita, o presidente da Chapecoense falou ao site do Torino e elogiou o convite e disse estar extremamente emocionado com as homenagens feitas pelo clube de Turim. ?Foi um momento de grande emoção para quem veio visitar, pude entender melhor sobre essa tragédia. Estou muito contente com a visita, mas e também um pouco triste com a história. Ao mesmo tempo, muito feliz de ver como o Torino e seu povo conseguiram renascer e começar de novo, este monumento é a sua essência?.

Como parte da homenagem do Torino, o clube italiano jogou um amistoso contra a Chapecoense na última quarta-feira, em Turim e, mesmo com a derrota por 2 a 0, a equipe brasileira pode se sentir novamente celebrar a solidariedade e criar vínculos com um time que também sofreu uma tragédia aérea em sua história. Na partida, quem deu o chute inicial foi Jackson Folmann, um dos sobreviventes da queda do avião em 2016.

O acidente que mudou a história do Torino aconteceu no dia 04 de maio de 1949, quando o avião que partiu de Lisboa e levava todos os integrantes do time caiu devido às péssimas condições climáticas na cidade italiana. A equipe retornava de Portugal pois tinha feito um amistoso contra o Benfica, um dos clubes mais fortes do futebol europeu na época, assim como o time de Turim.

Após o acidente, todo dia 04 de maio é reservado para que a população da cidade possa fazer as devidas homenagens aos jogadores falecidos. A mais marcante delas é uma missa realizada na Basílica de Superga, local do acidente, assim como uma cerimônia próximo ao monumento que homenageia os mortos na tragédia. Na homenagem feita neste ano,  o capitão da equipe, Andrea Belotti, leu em voz alta o nomes de todas as 31 vítimas.

 

Gazeta Esportiva

TAGS