PUBLICIDADE
Futebol

Sem Abel Braga, Palmeiras analisa o mercado atrás de opções

O Palmeiras queria ter Abel Braga como técnico com contrato até o final de 2019. O ex-comandante do Fluminense, que causou a queda de Roger Machado, porém, não está disposto a assumir uma equipe na metade da temporada. Assim, o Verdão trabalha com outras opções. Os principais candidatos são Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari. [?]

18:00 | 26/07/2018

O Palmeiras queria ter Abel Braga como técnico com contrato até o final de 2019. O ex-comandante do Fluminense, que causou a queda de Roger Machado, porém, não está disposto a assumir uma equipe na metade da temporada. Assim, o Verdão trabalha com outras opções.

Os principais candidatos são Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari. Ambos têm história vitoriosa no clube, são ídolos de grande parte da torcida e acumulam mais de uma passagem na equipe.

Luxa, de 66 anos, está desempregado desde que deixou o Sport, no ano passado. Em sua trajetória como treinador, comandou o Alviverde quatro vezes e conquistou dois Campeonatos Brasileiros, quatro Paulistas e um Rio-São Paulo. À TV Bandeirantes, ele disse que não foi procurado pelo Palestra.

Felipão, de 69, deixou o Guangzhou Evergrande, da China, no fim do ano passado, depois de ser campeão sete vezes no país. Com duas passagens no clube, ele é responsável pelo maior título da história do Palmeiras, a Copa Libertadores de 1999. Além disso, venceu duas Copas do Brasil, uma Mercosul e um Rio-São Paulo.

Felipão está em Lisboa, onde estabeleceu residência desde a época que comandou a seleção portuguesa, entre 2003 e 2008. O trinador recusou oferta da seleção do Egito e também recebeu proposta da Coreia do Sul.

Em desembarque do Palmeiras no aeroporto de Guarulhos, nesta quinta-feira, Mauricio Galiotte afirmou que o clube demitiu Roger porque ?precisava de uma mudança de postura?, dando a entender que o clube irá procurar por um ?medalhão?.

Mesmo assim, correndo por fora em relação aos dois treinadores consagrados já citados está Dorival Júnior. Aos 56 anos, o técnico foi demitido do São Paulo em março após salvar o Tricolor do rebaixamento na última temporada. Ele comandou o Maior Campeão do Brasil em 2014, quando mais uma vez, foi responsável por salvar a equipe do descenso.

Outra opção, vista com mais receio na Academia de Futebol, é a contratação de um treinador estrangeiro. Osório, Gareca e Sampaoli tiveram os nomes ventilados no clube, mas o tempo necessário para adaptação dos ?gringos? pesa contra sua contratação.

Antes de acertar com Roger Machado, no final de 2017, quando definiu que Alberto Valentim não seria efetivado no comando do Palmeiras, a diretoria alviverde mirou Abel Braga, que na ocasião não quis deixar o Fluminense. Em contato com a Gazeta Esportiva, seu filho e empresário, Fabio Braga, confirmou que o treinador irá aproveitar o tempo com a família até 2019, para somente então voltar a trabalhar.

Por enquanto, Wesley Carvalho, treinador do sub-20, é quem comanda o Palmeiras interinamente. A tendência é que ele esteja no banco de reservas no próximo domingo, diante do Paraná, às 11h (de Brasília), no Allianz Parque. Junto de Roger Machado, saíram dois auxiliares: Roberto Ribas e James Freitas.

Gazeta Esportiva

TAGS