PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Paraná e Atlético-PR não saem do zero e seguem brigando contra o Z4

Em partida válida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, o Paraná recebeu o Atlético-PR e o clássico, apesar de bastante movimentado sobretudo na primeira etapa, terminou em 0 a 0. Com o resultado, as duas equipes seguem em posições complicadas na tabela. Os donos da casa, com apenas três pontos ganhos, seguram a lanterna do [?]

13:15 | 27/05/2018

Em partida válida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, o Paraná recebeu o Atlético-PR e o clássico, apesar de bastante movimentado sobretudo na primeira etapa, terminou em 0 a 0. Com o resultado, as duas equipes seguem em posições complicadas na tabela. Os donos da casa, com apenas três pontos ganhos, seguram a lanterna do Brasileiro, enquanto o Furacão, na 16° colocação, tem os mesmos seis pontos da Chapecoense, time que abre a zona de rebaixamento, e só não integra também o Z4 por critérios de desempate.

A primeira chance da partida veio logo aos quatro minutos de jogo, e foi o time visitante que quase abriu o placar. A equipe trocava passes na entrada da área adversária, até que Camacho experimentou de longe, rasteiro, e o goleiro Thiago Rodrigues viu a bola passar muito perto da trave esquerda.

O início de jogo era favorável ao Furacão. Os visitantes tinham maior posse de bola e acuavam o adversário, que apenas assistia. O domínio, no entanto, não era convertido em chances claras de gol.

Aos 22, o Paraná chegou pela primeira vez. Após bola alçada na área, Mansur apareceu sozinho para completar de cabeça, e o goleiro Mansur fez defesa segura. A partir desse momento, o time da casa começou a crescer na partida, e voltou a chegar aos 29. Carlos cruzou na área, e após a defesa bater cabeça, a bola sobrou limpa para Torito, quase na marca do pênalti. O camisa 8 chegou batendo de primeira, mas mandou por cima do gol.

Só dava Tricolor, e aos 31, após cobrança de escanteio, Cleber Reis subiu no segundo pau e, de barriga, completou. A bola saiu muito perto da trave direita do goleiro Santos, que apenas observou. Dois minutos depois, em nova cobrança de escanteio, Leandro Vilela desviou no primeiro pau, e a bola ainda bateu no travessão antes de sair.

Na etapa complementar, os dois times caíram de produção. O número de finalizações diminuiu, e a objetividade das duas equipes também. A primeira chance do segundo tempo foi dos donos da casa, apenas aos 18 minutos. Mansur cruzou para o meio da área, e ela sobrou para Caio Henrique, sozinho, de frente para o gol. O camisa 10, contudo, não pegou bem, e a bola saiu à direita do goleiro Santos.

A resposta dos visitantes, que não levavam perigo desde o início da primeira etapa, veio aos 20. Nikão recebeu dentro da área e tentou tocar na saída do goleiro, mas Thiago Rodrigues fechou bem o ângulo e impediu o gol do adversário. A partida estava morna e um pouco faltosa, e passou a ser recorrente a necessidade de atendimento médico aos jogadores.

Aos 38, Léo Itaperuna foi empurrado por Zé Ivaldo dentro da área, mas o árbitro não marcou o pênalti a favor dos mandantes. Dois minutos depois, Carlos recebeu dentro da área, girou e bateu no canto, obrigando a boa defesa de Santos.

Aos 44 minutos, na última chance da partida, Caio Henrique recebeu na entrada da área, girou e finalizou bem, mas Lucho González apareceu providencialmente para desviar de cabeça e evitar aquele que seria o gol da vitória do Tricolor.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 0 X 0 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)

Data: 27 de maio de 2018, domingo

Horário: 11 horas (de Brasília)

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)

Assistentes:  Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)

Cartões amarelos: Leandro Vilela, Junior e Neris (Paraná), Guilherme e Matheus Rossetto (Atlético-PR)

PARANÁ: Thiago Rodrigues; Júnior, Neris, Cleber Reis e Mansur; Torito (Léo Itaperuna), Jhonny Lucas, Caio Henrique e Leandro Vilela (Carlos Eduardo); Silvinho (Guilherme Biteco) e Carlos.

Técnico: Rogério Micale

ATLÉTICO-PR: Santos; Thiago Heleno, Zé Ivaldo e Wanderson; Matheus Rossetto, Camacho, Lucho González (Bruno Guimarães), Thiago Carleto e Nikão; Guilherme (Raphael Veiga) e Pablo.

Técnico: Fernando Diniz

Gazeta Esportiva

TAGS