PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

França fura ?ferrolho irlandês? e faz 2 a 0 em amistoso antes da Copa

A seleção da França começou com o pé direito o ciclo de amistosos que antecedem a participação na Copa do Mundo da Rússia. Nesta segunda-feira, no Estade de France, os Bleus dominaram a Irlanda, não correram riscos defensivos e venceram por 2 a 0. Mesmo diante do ferrolho defensivo que se apresentava, os tentos saíram [?]

18:15 | 28/05/2018

A seleção da França começou com o pé direito o ciclo de amistosos que antecedem a participação na Copa do Mundo da Rússia. Nesta segunda-feira, no Estade de France, os Bleus dominaram a Irlanda, não correram riscos defensivos e venceram por 2 a 0. Mesmo diante do ferrolho defensivo que se apresentava, os tentos saíram ainda no primeiro tempo. A vantagem foi administrada nos 45 minutos finais.

Foi um digno primeiro tempo de ataque contra defesa, em que Mandanda foi um mero torcedor privilegiado dentro de campo. Mesmo assim, a França não encontrou muitos espaços, teve poucas oportunidades e demorou a conseguir furar a retranca irlandesa. Quando conseguiu, porém, não encontrou maiores dificuldades. Giroud teve de tentar três vezes para abrir o placar, enquanto Fekir contou com a contribuição do goleiro Doyle para fazer o segundo.

O segundo tempo foi bem menos emocionante e intenso. Foi apenas um lance de mais perigo, logo aos cinco minutos, com Giroud. Depois, as substituições deixaram a partida morna, principalmente pela proposta da Irlanda, que nem atrás no placar de dispôs a tentar ser mais agressiva. Desde o apito inicial, a defesa da França teve pouco trabalho.

Antes de debutar na Copa do Mundo, a seleção francesa ainda faz mais dois amistosos. Na próxima sexta, os comandados de Didier Deschamps enfrentam a Itália, em Nice, e encerram o ciclo contra os Estados Unidos, dia 9, em Lyon. A estreia no Mundial está programada para o dia 16 de junho, na Arena Kazan, contra a Austrália.

O JOGO

As propostas se mostraram bem definidas desde o começo da partida. Enquanto a França ficava com a bola e buscava espaços, a Irlanda mantinha seu ?ferrolho? defensivo e apostava nos contra-ataques para tentar surpreender. Logo aos dois minutos, o time da casa quase abriu o placar em uma jogada que destoou do restante do jogo. Sidibé roubou a bola na intermediária, avançou e rolou para Mbappé, que tocou colocado, mas por cima do gol.

Os poucos espaços que a seleção comandada por Didier Deschamps encontrava sempre culminavam em jogadas promissoras, até porque a opção dos irlandeses era parar a jogada com falta. Assim, Fekir quase furou a retranca aos 21 minutos. Em cobrança colocada, a bola raspou a trave de de Doyle.

Principais válvulas de escape da França, Mendy e Sidibé foram protagonistas no primeiro tempo. O lateral-esquerdo do Manchester City esteve perto de marcar em um chute firme da intermediária, que parou no arqueiro irlandês. Já o jogador do Monaco, preciso nos passes, deixou Tolisso em plenas condições de marcar, mas o arremate parou na trave.

Foram necessários 39 minutos para que os mandantes no Stade de France conseguissem furar a retranca e, mesmo assim, foi difícil. Primeiro, Giroud completou de cabeça o escanteio de Fekir, que Doyle espalmou. No rebote, o centroavante chutou, mas novamente parou no goleiro. Na terceira chance, enfim, a rede balançou. E não demorou muito para balançar de novo, com a contribuição do goleiro. Fekir bateu de fora da área, Doyle tentou cortar, mas acabou colocando contra a própria meta.

A vantagem conquistada no primeiro tempo não fez com que a França diminuísse o ritmo na volta do intervalo. Logo aos cinco minutos, Giroud recebeu na entrada da área, girou e bateu, mas novamente viu Doyle se sobressair. Aos poucos, porém, as substituições foram dando uma dinâmica diferente para a partida, que perdeu em qualidade técnica e nível de desempenho.

Se a vitória não parecia ser suficiente no início, ficou cômoda com a Irlanda seguindo de forma fiel sua proposta de, em nenhum momento, tentar algo mais incisivo diante da defesa francesa. Sem ser pressionada, a seleção da casa apenas controlou a partida e deixou o tempo correr para garantir o triunfo.

 

Gazeta Esportiva

TAGS