PUBLICIDADE
Futebol

Ponto fraco do São Paulo, bola aérea é virtude de rival na Sul-Americana

Após a derrota para o Atlético-PR, os jogadores do São Paulo se cobraram no sentido de corrigir os erros que a equipe vem cometendo na temporada. Talvez o principal deles esteja ocorrendo enquanto a bola passa sobre a cabeça dos defensores são-paulinos. O problema é que tal vulnerabilidade pode ser explorada por seu rival na [?]

10:15 | 09/04/2018

Após a derrota para o Atlético-PR, os jogadores do São Paulo se cobraram no sentido de corrigir os erros que a equipe vem cometendo na temporada. Talvez o principal deles esteja ocorrendo enquanto a bola passa sobre a cabeça dos defensores são-paulinos. O problema é que tal vulnerabilidade pode ser explorada por seu rival na primeira fase da Copa Sul-Americana, o Rosario Central-ARG, cuja principal virtude é justamente a jogada pelo alto.

Neste ano, o São Paulo já levou sete gols que se originaram a partir de bolas levantadas em sua área ? quase metade dos 15 tentos sofridos em 2018. Curiosamente, o time sempre acabou derrotado nas partidas em que viu o adversário levar a melhor por cima.

A fragilidade da equipe tricolor em bolas aéreas ficou escancarada na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, em Itaquera, pelo jogo de volta das semifinais do Campeonato Paulista. Na ocasião, o meia Rodriguinho, de apenas 1,77m, subiu sozinho após cobrança de escanteio para testar e levar a decisão para os pênaltis, que decretaram a eliminação do São Paulo.

A última falha aconteceu no segundo gol do Atlético-PR, na última quarta-feira, na Arena da Baixada. Após cobrança de escanteio pela direita, Rodrigo Caio e Militão saltaram no vazio, Reinaldo errou ao tentar afastá-la e deu de presente ao zagueiro Paulo André, que marcou de calcanhar na pequena área.

A tendência é que, ciente disso, o técnico do Rosario Central, Leonardo Fernández, dê ainda mais ênfase para esse tipo de jogada pensando no primeiro encontro com o São Paulo, na próxima quinta (12), às 21h30 (de Brasília), no Estádio Gigante de Arroyito.

O Rosario faz fraca campanha no Campeonato Argentino, ocupando o modesto 16º lugar entre 28 equipes, com 22 pontos a menos que o líder Boca Juniors (50). Em compensação, está em primeiro lugar no quesito gols de cabeça ? são 11 no total, o que representa 9% de tentos desse tipo na competição.

O atacante Fernando Zampedri é a principal referência do time argentino na bola aérea, com três gols de cabeça, um a mais que Germán Herrera, ex-Corinthians, e Alfonso Parot, lateral esquerdo da equipe. Os defensores Fernando Tobio, ex-Palmeiras, e Mauricio Martínez, e os centroavantes Agustín Maziero e Marco Ruben também já deixaram sua marca.

Até o primeiro confronto com o Rosario, o técnico Diego Aguirre terá realizado cinco treinos para corrigir tal deficiência. O São Paulo viajará para a Argentina na terça-feira e encerrará a sua preparação na casa do rival. O duelo de volta será disputado somente em 9 de maio, no Morumbi.

São Bento 2 x 0 São Paulo ? autor do gol: Anderson Cavalo

Corinthians 2 x 1 São Paulo ? autor do gol: Balbuena

Ituano 2 x 1 São Paulo ? autor do gol: Alison

Palmeiras 2 x 0 São Paulo ? autor do gol: Antônio Carlos

São Caetano 1 x 0 São Paulo ? autor do gol: Chiquinho

Corinthians 1 x 0 São Paulo ? autor do gol: Rodriguinho

Atlético-PR 2 x 1 São Paulo ? autor do gol: Paulo André

Gazeta Esportiva

TAGS