select ds_midia_link from midia where cd_midia = limit 1
Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Treze é impedido de jogar e semifinal do Paraibano vai parar na justiça

Uma divergência no entendimento do regulamento do Campeonato Paraibano fez com que a semifinal entre Botafogo e Treze fosse parar na justiça. O Botafogo entende que, por ter terminado a fase de grupos com mais pontos que o adversário (22 a 14), teria a vantagem de jogar por um empate. A Federação Paraibana de Futebol, [?]
16:00 | Mar. 18, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

Uma divergência no entendimento do regulamento do Campeonato Paraibano fez com que a semifinal entre Botafogo e Treze fosse parar na justiça. O Botafogo entende que, por ter terminado a fase de grupos com mais pontos que o adversário (22 a 14), teria a vantagem de jogar por um empate. A Federação Paraibana de Futebol, por sua vez, entende que essa vantagem seria do Treze, pois o time terminou a primeira fase na liderança do grupo B.

O Botafogo então foi até a justiça, e conseguiu uma liminar que adiaria a partida marcada para este domingo. Posteriormente, essa liminar foi cassada, e portanto a partida estaria mantida na mesma data. O Galo então foi até o Almeidão na esperança de entrar em campo, mas ao chegar no estádio, a delegação da equipe foi barrada.

A Federação Paraibana de Futebol alegou que o jogo não pode ser realizado por questões logísticas. Isso porque há um jogo marcado para a mesma data, horário e estádio em que Botafogo e Treze se enfrentariam. Trata-se de Auto Esporte e Desportiva Guarabira, pelo Torneio da Morte.

Marcos Souto Maior Filho, diretor jurídico da FPF, falou sobre a confusão e afirmou que o desejo da Federação era o de realizar a partida.

?Nós tentamos de tudo. Que fique claro que essa era a vontade da Federação. Vamos fazer de tudo para cumprir o calendário e encerrar o Campeonato Paraibano dentro do que está previsto?, disse.

Gazeta Esportiva

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

TSE mantém cassação de Pedro Bezerra por abuso de poder político

JUSTIÇA ELEITORAL
2021-07-31 08:10:56
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu manter a cassação do diploma do deputado federal Pedro Bezerra (PTB). O parlamentar, filho do ex-prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra (PTB), responde por prática de abuso de poder político durante as eleições de 2018. Ele é acusado de fazer uso de bens públicos da Prefeitura de Juazeiro do Norte durante sua campanha.

Em função da ação, proferida no dia 15 de julho, ainda cabe recurso a ser apresentado até o início de agosto. Em janeiro de 2020, o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) decidiu, por 7 votos a 0, manter a cassação do diploma do deputado. 

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Em nota, o deputado afirma que confia na Justiça Eleitoral e "recebe com serenidade" a decisão do ministro Alexandre de Moraes, relator do caso na Corte eleitoral. O parlamentar afirma que apresentará recurso ao Plenário "destacando particularidades da causa" que não foram avaliadas pelo magistrado. Ele defende que a defesa "certamente implicarão na reforma da decisão" pelo plenário do TSE.

A decisão não afeta a elegibilidade do deputado, que mantém seu cargo na Câmara dos Deputados e poderá concorrer à reeleição do pleito de 2022 sem nenhum tipo de impedimento eleitoral. "Em momento algum fui penalizado com a inelegibilidade, ou seja, sou deputado federal e continuarei sendo. Ano que vem serei novamente candidato", adianta Bezerra.

ASSISTA AO JOGO POLÍTICO #7

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

TRE de SP absolve Haddad e tesoureiro

POLÍTICA
2021-07-31 08:07:02
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) absolveu, por unanimidade, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) da acusação de caixa 2 na campanha eleitoral de 2012, quando foi eleito na capital paulista. A decisão, publicada na terça-feira, derrubou uma condenação imposta ao petista em primeira instância por falsidade ideológica eleitoral, e também alcançou o responsável financeiro pela campanha de Haddad, Francisco Macena, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.
Ao reformar a decisão de primeiro grau, a Corte eleitoral considerou que não havia provas suficientes sobre o crime de falsidade ideológica. O ex-prefeito havia sido denunciado por suposto caixa 2 de R$ 2,6 milhões da UTC Engenharia. O promotor eleitoral Luiz Henrique Dal Poz afirmou na acusação que Haddad "deixou de contabilizar valores, bem como se utilizou de notas inidôneas para justificar despesas".
A denúncia envolvia um repasse da empreiteira diretamente às gráficas de Francisco Carlos de Souza, ex-deputado estadual e líder sindical conhecido no PT como "Chico Gordo". Chico admitiu que recebeu os pagamentos, mas disse que não eram destinados à campanha de Haddad, e, sim, a outros candidatos petistas cujos nomes não revelou em seu depoimento à Polícia Federal.
A denúncia tinha como base quatro depoimentos, entre eles o do engenheiro Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia, e do doleiro Alberto Youssef.
Em primeira instância, o juiz da 1ª Zona Eleitoral, Francisco Shintate, havia imposto ao petista 4 anos e 6 meses de prisão, em regime semiaberto - pena derrubada com a absolvição. O juiz havia entendido que, como candidato, ele era responsável pela inclusão de supostas notas fiscais falsas na prestação de contas. Na primeira sentença, o ex-prefeito de São Paulo havia sido absolvido por falsificação de notas fiscais, quadrilha, corrupção passiva, improbidade e lavagem de dinheiro.
Na mesma ação, o ex-tesoureiro João Vaccari Neto havia sido condenado pelos crimes de formação de quadrilha e de lavagem de dinheiro ou ocultação de bens, direitos ou valores, com pena somada de 10 anos de reclusão em regime fechado. Segundo a sentença, Vaccari pediu o pagamento de R$ 2,6 milhões em favor de uma das gráficas envolvidas no caso, com valores de origem ilícita da UTC. O ex-tesoureiro agora foi absolvido dessas acusações.
Vaccari ficou preso cerca de quatro anos, a partir de 2015, após condenações na Operação Lava Jato. Desde 2019, ele cumpria a pena em regime diferenciado e, atualmente, responde a processos em liberdade. Ele foi condenado em ao menos sete processos da operação.
‘Insustentável’
À época da decisão em primeira instância, Haddad disse que havia sido condenado por algo que "sequer foi alvo de acusação". "Por aquilo que fui acusado, eu fui absolvido. Provei que o delator mentiu", afirmou o ex-prefeito, em agosto de 2019.
Desta vez, o petista não quis se pronunciar, e deixou o pronunciamento para sua defesa. Os advogados Pierpaolo Bottini, Fernando Neisser e Tiago Rocha, que o defenderam no processo, divulgaram nota na qual afirmam que "a decisão põe fim a uma grande injustiça que lançava uma sombra injusta sobre a integridade do ex-prefeito, que sempre pautou sua conduta pelo cumprimento da lei". Os advogados ainda classificaram como "insustentável" a acusação. "A denúncia alegava a inexistência de materiais de campanha, que foram comprovadamente produzidos, por gráficas que atuaram para mais de 20 partidos políticos. A acusação era insustentável."
Os advogados de Francisco Macena, responsável financeiro pela campanha que havia sido condenado a pena de três anos e nove meses em regime aberto, disseram que "o tribunal repôs a verdade, após amplo uso político da condenação dissociada das provas dos autos, nas eleições de 2016 e 2018".
O advogado Luiz Flávio Borges D’Urso, defensor de Vaccari, ressaltou que o TRE reconheceu a nulidade da sentença por unanimidade, e que a primeira decisão havia absolvido os réus de crime eleitoral, mas condenado apenas por crimes comuns.
"Na verdade o juiz eleitoral de primeira instância, por iniciativa própria e sem amparo na lei, entendeu por bem avocar a competência da Justiça Comum Estadual (sem qualquer comunicação às partes), e condenou o sr. Vaccari pelos crimes comuns de lavagem de dinheiro e associação criminosa", disse a defesa. "A anulação da sentença condenatória restabelece a Justiça buscada por meio dos recursos impetrados pela defesa."
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Série D: Madureira busca reabilitação e São Bento tenta 1ª vitória

Esportes
2021-07-31 07:42:08
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após perder a invencibilidade na Série D do Campeonato Brasileiro, o Madureira-RJ mira a reabilitação neste sábado (31). Do outro lado, o São Bento-SP busca a primeira vitória na competição. O duelo da nona rodada do Grupo 7, no estádio Aniceto Moscoso, na zona norte do Rio de Janeiro, será transmitido ao vivo na TV Brasil às 15h (horário de Brasília).

O Tricolor Suburbano carioca perdeu a liderança da chave na rodada passada, ao perder para o Santo André-SP por 2 a 0 no estádio Distrital do Inamar, em Diadema (SP). A primeira derrota após oito jogos derrubou os cariocas para o terceiro lugar, com os mesmos 13 pontos do Ramalhão, que tem uma vitória a mais (quatro a três).

O zagueiro Guilherme Xuxa e o atacante Guilherme Augusto estão fora por terem contraído o novo coronavírus (covid-19). O lateral-direito PC, que se recuperou de um estiramento muscular, é dúvida. O técnico Alfredo Sampaio deve escalar o Tricolor com: Lucão; Léo Barboza, Mario Pierre, Thiago Medeiros e Juninho Monteiro; Feitosa, Leandro Sardinha e Rafinha; Romário, Sampaio e Índio.

O Bentão paulista é o lanterna do grupo, com cinco pontos, todos provenientes de empates. Na última rodada, os paulistas foram derrotados pelo Cianorte-PR, por 1 a 0, no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba (SP). A equipe está seis pontos atrás do clube paranaense, que aparece em quarto lugar e ocupa a última vaga ao mata-mata.

Sem dificuldades, Brasil supera Sérvia e assume liderança do grupo no vôlei feminino em Tóquio

MAIS UMA VITÓRIA
2021-07-31 07:21:01
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A seleção feminina de vôlei não tomou conhecimento da equipe sérvia e bateu as atuais campeãs mundiais por 3 sets a 1, parciais 25/20, 25/16, 23/25 e 25/19. O jogo foi válido pela penúltima rodada da fase de grupos, com o resultado, as brasileiras ultrapassaram as sérvias na classificação.

As meninas do Brasil fecham a fase de classificação na próxima segunda-feira, às 9h45, quando enfrentarão a seleção do Quênia. O jogo definirá o futuro das brasileiras nas quartas de final do torneio.

O jogo

Com um bom ritmo de jogo, o Brasil manteve um bom desempenho durante o primeiro set. Sem muita dificuldade, as jogadoras brasileiras chegaram ao 25/20. O segundo set não foi diferente, a seleção brasileira chegou a abrir 7 pontos diante das sérvias ao fazer 18 a 11.Tandara deu números finais ao set ao fazer 25/16 para o Brasil.

O terceiro set parecia encaminhar a vitória brasileira na partida, entretanto, as atuais campeãs mundiais reagiram. O Brasil vencia o set por 20 a 19, mas tomou a virada na reta final, perdendo a disputa por 25/23.

O quarto set serviu para o Brasil consolidar as boas atuações. Com destaque para Tandara, maior pontuadora do jogo, a seleção brasileira chegou a 25/19 e garantiu mais uma vitória em Tóquio.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil perde para a Suécia no handebol feminino em Tóquio

DERROTA NO HANDEBOL
2021-07-31 06:50:36
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A situação das atletas brasileiras do handebol feminino se complicou neste sábado, 31, após a segunda derrota seguida da equipe representante do Time Brasil, desta vez para as suecas, por 34 a 31, nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Em início de jogo tenso, o placar só foi aberto aos 3 minutos de partida. As Leoas mantiveram a vantagem apertada, obtendo sucesso e maior distância com a construção de jogadas rápidas. Mesmo conseguindo um placar de 13 a 9 aos 19 minutos, a Seleção Brasileira não conseguiu manter a vantagem por muito tempo. O Brasil acabou terminando o primeiro tempo perdendo de 13 a 15, depois de tomar seis gols seguidos das suecas.

Na segunda etapa, o Brasil voltou ainda sem concentração e assim ficou até a metade do segundo tempo, quando Babi entrou iniciou uma reação brasileira. Renata brilhou com boa defesa, arremessando para o gol sueco, levando o Brasil a encostar no placar, chegando ao empate aos 22 minutos. Aproveitando a desorganização do ataque brasileiro, as suecas abriram três gols de vantagem, faltando cinco minutos para o fim da partida, não dando tempo de reação ao time brasileiro.

Atualmente com um total de 3 pontos no Grupo B, a equipe brasileira ainda pode passar para as quartas de final, mesmo com a derrota. Apesar da melhora após um final de primeiro tempo bem abaixo do que as Leoas vinham fazendo em Tóquio, a segunda derrota da competição chegou. Neste domingo, 1, às 23h (de Brasília), a Seleção Brasileira enfrenta a França, atual vice-campeã olímpica, na última rodada.

O Brasil e a França estão empatados em pontos, ambos com 3, estando atrás da líder Suécia (7 pontos), do Comitê Olímpico Russo (5) e da Espanha (4). As Leoas ocupam a quarta colocação do grupo B, superando as francesas, por conta de um maior saldo de gols (-1 contra -3).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags