PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Sem punições, Uefa encerra caso de racismo contra ?carrasco? do Brasil

Chegou ao fim mais um processo disciplinar da Uefa nesta quarta-feira. Em comunicado, a entidade anunciou que encerrou as investigações contra o russo Leonid Mironov, do Spartak Moscou, por supostos atos racistas ao atacante inglês Rhian Brewster, conhecido por ser carrasco da Seleção Brasileira sub-17. Por faltas de provas, o defensor acabou não recebendo nenhuma [?]

18:15 | 07/03/2018

Chegou ao fim mais um processo disciplinar da Uefa nesta quarta-feira. Em comunicado, a entidade anunciou que encerrou as investigações contra o russo Leonid Mironov, do Spartak Moscou, por supostos atos racistas ao atacante inglês Rhian Brewster, conhecido por ser carrasco da Seleção Brasileira sub-17. Por faltas de provas, o defensor acabou não recebendo nenhuma punição.

A origem do suposto ato racista aconteceu no dia 6 de dezembro de 2017, durante a partida entre Spartak Moscou e Liverpool, pela Liga dos Campeões Sub-19, que terminou com vitória dos ingleses por 2 a 0. A Comissão de Controle, Ética e Disciplina da entidade continental entendeu que não existiram provas suficientes para entender as expressões proferidas. Em sua defesa, Mironov garantiu que não utilizou qualquer palavra discriminatória.

?As punições disciplinares, unicamente, podem ser impostas se há suficientes provas concretas disponíveis. A Uefa encoraja qualquer jogador ou árbitro que possa ser objeto ou testemunha de condutas racistas, que informem isso e permitam o início de investigação. A Uefa está comprometida a erradicar o racismo do futebol e trata todos os relatos sobre discriminação e atitudes racistas com extrema seriedade?, disse a Uefa na nota sobre o caso

Rhian Brewster é tratado como uma das granes promessas do futebol inglês e ganhou holofotes pela campanha e a artilharia do Mundial Sub-17, realizado no ano passado. Na semifinal, justamente contra a Seleção Brasileira, até então invicta, o atacante da Inglaterra fez os três gols da vitória por 3 a 1 e foi um dos responsáveis diretos pela conquista, marcando novamente na final contra a Espanha.

Gazeta Esportiva

TAGS