select ds_midia_link from midia where cd_midia = limit 1
Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Para amenizar crise, Ponte busca classificação na Copa do Brasil

Depois de demitir o técnico Eduardo Baptista e ainda não anunciar um nome, a Ponte Preta tenta melhorar uma temporada que começa muito ruim. A eliminação precoce no Campeonato Paulista fez com que a torcida perdesse a paciência. Nesta quinta-feira, o time vai tentar dar um basta na crise e enfrenta o Sampaio Corrêa, no [?]
20:15 | Mar. 14, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

Depois de demitir o técnico Eduardo Baptista e ainda não anunciar um nome, a Ponte Preta tenta melhorar uma temporada que começa muito ruim. A eliminação precoce no Campeonato Paulista fez com que a torcida perdesse a paciência. Nesta quinta-feira, o time vai tentar dar um basta na crise e enfrenta o Sampaio Corrêa, no Maranhão pela Copa do Brasil.

Para piorar a situação, a Macaca irá desfalcada. Jeferson está suspenso e Léo Artur com problemas musculares sequer viajaram para São Luis. O técnico Brigatti ainda não confirmou o substituto: ?A gente tem dúvidas na lateral. Podemos deslocar o Marciel, mas não sabemos ainda. Vamos fazer um treinamento de posicionamento amanhã para ver essas possibilidades?, afirmou o treinador.

Entretanto, nem tudo é má notícia para o comandante, que confirmou a estreia do recém-chegado Lucas Mineiro, ex-Chapecoense: ?Entrada do Lucas Mineiro é certa. Um jogador de muita qualidade que vai nos ajudar a fortalecer o meio-campo?, disse João Brigatti.

A Ponte não vence há cinco jogos, somadas todas as competições, desde então, nem conseguiu balançar as redes. Para avançar, será preciso um empate com gols ou vitória. O time maranhense passa de fase se bater o adversário.

Vitória tenta reverter placar adverso; Vila Nova busca vaga:

Outro time que entrará em campo nesta quinta será o Vitória. O time baiano precisa bater o Bragantino por pelo menos dois gols de diferença para passar direto. Na ida, o Braga venceu por 1 a 0 em Bragança Paulista.

O atacante Neilton quer o Rubro Negro focado desde o início da partida: ?São jogos decisivos. Desde o jogo contra o Flu de Feira que começou com as decisões. Nossa equipe teve um aprendizado nesse último jogo. Tem que entrar ligado para que possa fazer um início de jogo bom, porque a equipe deles é difícil de jogar, bem organizada dentro de campo. Vão vir para marcar duro?, afirmou o jogador.

Em caso de empate, a equipe do interior de São Paulo se classifica. Se o placar de 1 a 0 se repetir a favor dos comandados de Vagner Mancini, a decisão irá para os pênaltis.

O Vila Nova quer chegar a próxima fase da Copa do Brasil. Para isso, o time joga por um empate sem gols contra o Ferroviário, pois a partida de ida foi 1 a 1, no Ceará. O time cearense precisa ganhar ou empatar, desde que marque no mínimo dois gols.

Gazeta Esportiva

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Pandemia destrói 7,7 milhões de vagas

ECONOMIA
2021-07-31 09:12:18
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A geração insuficiente de empregos mantém o desemprego em níveis recordes quando se considera o mercado de trabalho como um todo, incluindo a economia informal, mostram os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, o total de ocupados aponta para o corte de 7,7 milhões de vagas na comparação com o quadro anterior à pandemia. Na virada de 2019 para 2020, o total de ocupados oscilava entre 94 milhões e 94,5 milhões. Agora, são 86,7 milhões.
Conforme o IBGE, a taxa de desocupação de 14,6% no trimestre móvel até maio, com 14,795 milhões de desempregados, nas máximas históricas, sobe para 29,3%, incluindo desalentados (que simplesmente desistiram de procurar emprego) e subocupados (que trabalham menos do que gostariam). Está faltando trabalho para 32,946 milhões no País, o equivalente às populações de Angola ou da Malásia.
O desemprego se manteve em níveis recordes porque mais pessoas estão em busca de uma ocupação. Um ano atrás, a taxa de desemprego estava em 12,9%. Segundo Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE, a alta se deve a uma particularidade da crise da covid-19.
Em um primeiro momento da pandemia, trabalhadores que perderam seus empregos, formais ou informais, ficaram em casa, sem procurar trabalho, por causa das restrições ao contato social. Pelas metodologias internacionais seguidas pelo IBGE, só é considerado desempregado quem busca emprego. "Muitas pessoas, embora não estivessem trabalhando, não estavam procurando", afirmou Adriana.
A flexibilização das medidas de restrição e a necessidade de buscar renda levaram os trabalhadores a voltar ao mercado, buscando emprego ativamente. Ou seja, o desemprego não está nas máximas históricas por causa de mais demissões. Pelo contrário, a evolução da população ocupada aponta para a criação de 840 mil vagas, entre formais e informais em um ano.
Cenário
A expectativa de economistas é que o desemprego recue no segundo semestre, com o avanço da vacinação favorecendo a retomada da atividade econômica, mas o País ainda deve conviver com níveis de desocupação altos por bastante tempo.
"À medida que a economia vai retomando, a demanda por emprego aumenta, mas a volta da atividade econômica também gera um aumento da demanda por parte dos trabalhadores. Tem um período no qual a taxa vai ficar basicamente parada e, daqui a pouco, ela começa a cair", disse José Márcio Camargo, economista-chefe da Genial Investimentos, prevendo a queda da taxa de desemprego a um nível entre 12,5% e 13% no fim de 2021.
Em nota, o economista Rodolfo Margato, da XP Investimentos, previu que a população ocupada só deverá retornar ao nível pré-pandemia no terceiro trimestre de 2022.
Daniel Xavier, economista sênior do banco ABC Brasil, também vê a redução do desemprego como um movimento gradual. Para o ano que vem, por exemplo, ele estima uma taxa de desocupação de 12,5% no último trimestre e média do ano em torno de 13%.
A economista Lisandra Barbero, do Banco Original, espera taxa de desemprego média de 14,0% em 2022. Ela está mais pessimista porque o avanço da vacinação e a reabertura da economia podem levar o crescimento do número de trabalhadores em busca de emprego a um ritmo superior ao da geração de vagas.
Para Lisandra, em parte os movimentos no mercado de trabalho são graduais por causa de particularidades próprias do Brasil. A economista lembra que a taxa de desemprego está em dois dígitos desde 2014. "Uma das justificativas é que contratar e demitir no Brasil é um processo muito caro, demorado. Precisa de muita confiança para decidir", disse. (Colaboraram Guilherme Bianchini e Cícero Cotrim)
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Desempregado tem dificuldade para se recolocar em nova vaga

ECONOMIA
2021-07-31 09:12:17
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na sexta-feira, 30, que a taxa de desocupação no País alcançou 14,6% no trimestre encerrado em maio de 2021, mantendo os 14,8 milhões de desempregados constatados na medição do trimestre finalizado em abril. Com isso, o cenário é de adaptação forçada, principalmente, para quem perdeu o emprego por conta da pandemia do novo coronavírus.
Esse foi o caso de Mariane da Silva Carvalho, de 33 anos. Ela trabalhava como cozinheira e "bartender" para uma empresa terceirizada que prestava serviços para o resort Costa do Sauípe, na Bahia. Conta que estava no emprego havia dois anos e sete meses e ficou muito triste com a notícia do desligamento.
Paulistana e sem família na Bahia, voltou para São Paulo com o filho de cinco anos. Morando em Paraisópolis, doações feitas por instituições à comunidade ajudam a passar o mês. Para equilibrar as despesas, ela conta com o auxílio emergencial, que recebe desde o ano passado, e um auxílio merenda, dado pela escola.
Desde a demissão, Mariane não parou de procurar emprego. Mas as oportunidades são poucas e, além de tudo, ela ressalta que sofre preconceito no mercado de trabalho por ter criança pequena. Enquanto isso, tem feito alguns cursos técnicos gratuitos para não ficar parada. "Vou manter a esperança."
Diferentemente de Mariane, José Matias Vicente Júnior, de 20 anos, nunca teve emprego registrado em carteira. Ele está à procura da primeira vaga, mas critica as oportunidades de vagas. "As empresas buscam profissionais graduados, com inglês fluente e experiência, eles querem você grande, mesmo que o cargo seja de nível mais baixo."
Vicente Júnior mora na Cidade Ademar, zona sul de São Paulo, com o pai, de 61 anos, que trabalha assentando pedra. No período de maior crise, no ano passado, a renda da família foi complementada pelo auxílio emergencial do pai e por bicos que faz. Recentemente, ele começou um pequeno negócio, vendendo camisetas por meio de plataformas na internet. "Trabalho por encomenda. Ainda está no começo, mas espero conseguir alguma renda. Não podemos ficar parados."
Já Alexandre dos Santos Verçosa, de 35 anos, é barbeiro, e notou queda no número de clientes. Quando a clientela começou a cair por causa da pandemia, logo no ano passado, ele parou de alugar uma cadeira no salão onde trabalhava e fez uma vaquinha online para comprar os próprios equipamentos.
"Alugar uma cadeira" significa que, se o corte de cabelo custava R$ 50, Verçosa pagava R$ 30 ao estabelecimento, que acabou fechando. "Os cortes têm caído bastante, e não tenho outro trabalho. A única fonte de renda é da minha mãe, que trabalha de carteira assinada, como babá. Nossa prioridade tem sido a cesta básica e as contas. A gente paga as contas, e o dinheiro acaba em uma semana. Tem sido bem difícil." (Colaborou Felipe Siqueira)
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará tem 48 praias próprias para banho; 19 estão na Capital

Balneabilidade
2021-07-31 09:01:00
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

No litoral cearense, 48 praias estão consideradas apropriadas para banho, segundo boletins de balneabilidade divulgados nessa sexta-feira, 30, pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). Do total, 19 pontos estão na Capital, 15 no litoral Leste e 14 no litoral Oeste. Os boletins são emitidos pela Gerência de Análise e Monitoramento da autarquia mensalmente (para litoral do Estado) e semanalmente (para Fortaleza).

Fortaleza

Na Capital, a maioria dos pontos próprios para recreação primária está localizada no trecho Leste. Os 11 pontos estão compreendidos entre o Farol do Mucuripe ea rua Ismael Pordeus, os postos um a oito do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE), além da foz do rio Cocó e da Praia da Sabiaguaba. O 11º posto do boletim, uma parte do Farol, está impróprio.

>> Clique aqui para acessar o boletim das praias de Fortaleza

Já no trecho Centro, há seis pontos próprios: entre a Volta da Jurema e a foz do Riacho Maceió; do espigão da avenida Desembargador Moreira até a obra do Aquário. Os postos 12 a 14 estão impróprios e enquadram a Praia dos Botes, parte do Farol e entre a foz do Riacho Maceió e o Monumento dos Jangadeiros. O 16º ponto do trecho Centro não foi analisado pelo boletim devido a obras sendo realizadas no local.

Apenas dois pontos de balneabilidade adequada foram associados aos trecho Oeste de Fortaleza: entre a avenida Philomeno Gomes até a rua Padre Mororó. A Praia da Barra do Ceará está imprópria.

Litoral do Estado

No litoral Leste do Ceará, apenas duas praias se mostraram impróprias para banho: a do Presídio e do Pontal de Maceió. 15 pontos da orla foram considerados favoráveis, incluindo as praias do Porto das Dunas, do Iguape e de Canoa Quebrada.

>> Clique aqui para acessar o boletim das praias do litoral Leste

Já no litoral Oeste, 14 praias estão adequadas, incluindo algumas de rota turística, como Cumbuco, Paracuru, Lagoinha, Icaraí de Amontada e Jericoacoara. As praias de Icaraí e Arpoeiras receberam alerta para recreação primária, enquanto as do Pecém e da Taíba foram classificadas impróprias.

>> Clique aqui para acessar o boletim das praias do litoral Oeste

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíada: Brasil bate Egito no futebol masculino e avança para as semifinais

VITÓRIA DO BRASIL
2021-07-31 08:58:22
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A seleção olímpica brasileira deu mais um passo rumo à medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio. Os meninos do Brasil derrotaram o Egito por 1 a 0, com um gol marcado por Matheus Cunha no primeiro tempo. O resultado garantiu o Brasil nas semifinais dos Jogos. México e Coréia do Sul se enfrentam na manhã deste sábado, 31, para definir quem será o adversário brasileiro.

O Brasil foi superior nos 45 minutos iniciais. Apesar das muitas chances de gol, a Seleção balançou as redes apenas uma vez Aos 36 minutos, em contra-ataque iniciado pelo goleiro Santos, o Brasil marcou o único gol do jogo após finalização precisa de Matheus Cunha.

No segundo tempo, a equipe brasileira teve a chance de matar o jogo ainda nos primeiros minutos, mas desperdiçou as oportunidades criadas. O Egito ainda tentou achar o empate nos minutos finais, mas não obteve sucesso.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

"Enquanto você dormia dia 8": bronze no tênis, vitória no vôlei e derrota no handebol

RESULTADOS
2021-07-31 08:29:00
Autor Gabriel Borges
Foto do autor
Gabriel Borges Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

As Olimpíadas de Tóquio 2021 chegaram ao oitavo dia. O Time Brasil somou mais uma medalha em Tóquio com a conquista do bronze histórico no tênis de duplas feminino, Luisa Stefani e Laura Pigossi chegaram ao terceiro lugar após uma virada incrível no super tie-break. No vôlei feminino, vitória brasileira sobre as campeãs mundiais. Já no handebol feminino, brasileiras sofrem a segunda derrota seguida. 

O POVO traz um resumo do que aconteceu entre a noite de sexta-feira, 30, e a madrugada de sábado, 31, enquanto você dormia.

O dia 8 de competições ainda contou com bons resultados para o Brasil no atletismo, eliminação no Judô e desistência de Simone Biles das finais do salto e barras assimétricas em Tóquio. No tênis, Djoko perdeu a disputa pelo bronze.

Bronze histórico no tênis

As brasileiras Luisa Stefani e Laura Pigossi conquistaram o primeiro bronze da história do tênis brasileiro nos Jogos Olímpicos. A medalha veio após vencerem a disputa contra a dupla representante do Comitê Olímpico Russo. Na madrugada deste sábado, 31, as brasileiras bateram as russas Elena Vesnina e Veronica Kudermetova por 2 sets a 1 após uma virada histórica (parciais de 4/6, 6/4 e 11/9).

Brasil bate campeãs mundiais no vôlei

A seleção feminina de vôlei venceu a equipe sérvia por 3 sets a 1, parciais 25/20, 25/16, 23/25 e 25/19. O jogo foi válido pela penúltima rodada da fase de grupos, com o resultado, as brasileiras ultrapassaram as atuais campeãs mundiais na classificação. O Brasil fecha a fase de classificação na próxima segunda-feira, às 9h45, contra o Quênia.

Segunda derrota do Brasil no handebol feminino

A Seleção Feminina de handebol teve sua segunda derrota nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Na madrugada deste sábado, 31, as brasileiras perderam por 34 a 31 para a Suécia.Neste domingo, 1, às 23h, a Seleção Brasileira volta à quadra para enfrentar as francesas, atuais vice-campeãs olímpicas.

Simone Biles fora das finais

A ginasta americana Simone Biles não vai participar das finais do salto e barras assimétricas no domingo, 1. O anúncio foi feito na noite desta sexta-feira, 30, pela Federação Americana de Ginástica.A americana, que conquistou cinco medalhas na Rio 2016, explicou que precisava proteger sua saúde mental.

Brasil na final do lançamento de disco

A brasileira Izabela da Silva conseguiu classificação à final do lançamento de disco nas Olimpíadas de Tóquio. Ela arremessou para a distância de 61,52 metros e ficou com a 12ª melhor marca. Como 12 competidoras passam para a decisão, ela está classificada para a decisão que ocorre na segunda-feira, 2, às 8 horas da manhã.

Brasil eliminado na disputa por equipes no judô

Durante a madrugada, o Brasil perdeu nas quartas de final do judô por equipes mistas em Tóquio 2020. A derrota para a equipe holandesa levou o Brasil para a repescagem contra os judocas de Israel. Entretanto, mais uma vez, os brasileiros acabaram derrotados e deixaram os Jogos Olímpicos.

Brasil avança no boxe

Wanderson de Oliveira irá disputar as quartas de final do boxe olímpico. Na manhã deste sábado, 31 o lutador carioca bateu o bielorrusso Dzmitry Asanou por decisão dividida (3 a 2), a luta foi válida pelas oitavas de final da categoria leve (até 63kg). Como no boxe, não há disputa de terceiro lugar, o brasileiro está a uma luta de garantir medalha.

Djokovic perde disputa do bronze

O bronze conquistado na Olimpíada de Pequim 2008 segue sendo a única medalha olímpica conquistada por Novak Djokovic. O número um do mundo foi derrotado pelo espanhol Pablo Carreno Busta, neste sábado, 31, no jogo que valia a disputa do terceiro lugar pelo torneio simples de tênis.O espanhol bateu o sérvio por 2 sets a 1 (parciais de 6/4, 6/7 e 6/3).

Fratus na final dos 50m livres

O brasileiro Bruno Fratus terminou na 2ª colocação na prova da semifinal de Tóquio 2020. Ele ficou em terceiro lugar geral e assim disputará a grande final da modalidade, que acontecerá neste domingo, 1º de agosto, às 22h30. Fratus foi finalista nos Jogos de Londres, em 2012, do Rio de Janeiro, em 2016.

Derrota na praia, mas vaga nas oitavas

Ainda na noite da sexta-feira, 30, Ana Patrícia, que faz dupla com a cearense Rebecca, entraram em quadra pelo vôlei de praia nas Olimpíadas de Tóquio para enfrentar as estadunidenses Claes e Sponcil pela terceira rodada da fase de grupos. As brasileiras venceram o primeiro set por 21 a 17, mas perderam os dois seguintes, por 21 a 19 e 15 a 11. Mesmo com a derrota, a dupla do Time Brasil conseguiu avançarna competição.

Thiago Braz na final do salto com vara

Thiago Braz está na final da prova nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O paulista e atual campeão do salto com vara fez 5,75m de marca na eliminatória, avançando à decisão, que acontece na terça-feira, 3, a partir das 7h20. O também brasileiro Augusto Dutra não conseguiu se classificar ao falhar nas três tentativas para 5,75m, na mesma prova. Ele terminou em oitavo no grupo A com 5,65m de marca.

Martine e Kahena com chance de medalha

Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs olímpicas na Rio 2016,avançaram à Medal Race da classe 49er FX. Após as três regatas nas Olimpíadas de Tóquio, a dupla fechou a fase de classificação em segundo lugar e vai entrar em boa posição na regata decisiva pela medalha na segunda-feira, 2, às 2h30.

Brasil eliminado no tiro com arco

Marcus D'Almeida acabou eliminado pelo número 4 do mundo, o italiano Mauro Nespoli, por 6 a 0. O atleta foi o primeiro brasileiro arqueiro a garantir vaga nas oitavas de final do tiro com arco masculino em Olimpíadas. Em Tóquio 2020, Marcus teve duas vitórias até a derrota na noite desta sexta-feira, 30.

Brasil fecha adestramento em 11º no hipismo CCE

O cavaleiro Carlos Parro, montando Goliath, encerrou a participação brasileira no adestramento do hipismo Concurso Completo de Equitação (CCE), nos Jogos de Tóquio. Na noite desta sexta-feira, 30, no Parque Equestre, o brasileiro ficou com -36,10 pontos, obtendo um aproveitamento de 63,9%.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags