PUBLICIDADE
Futebol

Fifa aumenta suspensão de Marco Polo Del Nero até abril

Nesta quarta-feira, a Fifa anunciou que ampliou em 45 dias a suspensão de Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF, de todas as atividades que tenham qualquer relação com o futebol. Em dezembro do ano passado, o dirigente já tinha sido punido com 90 dias e agora ficará ausente pelo menos até o dia […]

12:30 | 14/03/2018

Nesta quarta-feira, a Fifa anunciou que ampliou em 45 dias a suspensão de Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF, de todas as atividades que tenham qualquer relação com o futebol. Em dezembro do ano passado, o dirigente já tinha sido punido com 90 dias e agora ficará ausente pelo menos até o dia 15 de abril, quando se encerra o período determinado pela instituição.

A acusação do dirigente brasileiro é baseada em evidências que foram apresentadas durante o julgamento de José Maria Marin, em Nova York. Na ocasião,  que aconteceu no final de 2017, Del Nero foi citado tanto por delatores como por réus confessos do caso como um dos cartolas de maior poder no continente sul-americano. Seu nome aparece em planilhas e conversas telefônicas que foram interceptadas pelas autoridades dos Estados Unidos.

Apesar do atual presidente da CBF afirmar que não está envolvido, Del Nero é acusado de receber por volta de US$ 6,5 milhões ( aproximadamente R$ 22 milhões) em subornos para beneficiar agências de marketing esportivo em contratos da Conmebol e da maior instituição de futebol do Brasil.

O dirigente está há menos de três ano como presidente da Confederação Brasileira de Futebol e, neste período, Del Nero passou mais tempo se defendendo de acusações judiciais do que realizando mudanças no futebol nacional. Tanto ele como Ricardo Teixeira são citados, porém, como não saíram  do Brasil desde o estouro do escândalo, ambos não correm risco de prisão, já que que cidadãos brasileiros não podem ser extraditados.

 

Gazeta Esportiva