PUBLICIDADE
Futebol
CRAQUE ITALIANO

Organização anti-racismo emite nota sobre episódio envolvendo Balotelli

09:15 | 12/02/2018

Balotelli foi mais uma vez vítima de racismo na derrota do Nice para o Dijon, pelo Campeonato Francês (Foto: PHILIPPE DESMAZES/AFP)
A Kick It Out, organização que combate o racismo e a discriminação no futebol, divulgou nesta segunda-feira um comunicado oficial sobre o episódio envolvendo o atacante do Nice, o italiano Mario Balotelli, que recebeu cartão amarelo na derrota de sua equipe para o Dijon, por 3 a 2, ao denunciar um caso de racismo vindo das arquibancadas.

O juiz da partida, Nicolas Rainville, advertiu o jogador depois que o mesmo tentou chamar atenção da comissão de arbitragem para a conduta dos torcedores do Dijon.

Durante a partida, o próprio time de Balotelli, o Nice, alertou sobre a ação de Rainville. Por meio de sua conta oficial na rede social Twitter, a equipe francesa afirmou que o italiano havia recebido o cartão amarelo por estar simplesmente incomodado com os insultos racistas vindo das arquibancadas.




Dans l’intervalle, Mario Balotelli a hérité d’un carton jaune, après… s’être agacé d’insultes racistes du public. pic.twitter.com/5C1V8MXBYq

— OGC Nice (@ogcnice) 10 de fevereiro de 2018



A nota oficial da Kick It Out demonstrou indignação com tal ação, esclarecendo que a advertência vai contra aquilo o que prega o protocolo da UEFA nessas situações. A organização ainda reiterou que espera uma medida contundente das autoridades do futebol francês.

Confira o comunicado oficial na íntegra:

“A Kick It Out ficou chocada ao ver Mario Balotelli receber o cartão amarelo por chamar atenção ao árbitro da partida para os alegados cânticos racistas direcionados a ele, pelos torcedores do Dijon. 

É inaceitável e errado vermos que, mais uma vez, um juiz profissional falhou em aplicar o protocolo da UEFA, válido por anos, que requer uma ação a ser tomada e parar o jogo para lidar com o abuso verbal. 

Apesar da responsabilidade da Kick It Out se estender somente ao futebol inglês, a organização contatou a rede anti-discriminação ‘Futebol contra o racismo na Europa’ (FARE, em inglês), para ver quais ações serão tomadas para esclarecer isso aos juízes da Ligue 1.

A organização espera uma resposta forte das autoridades do futebol francês em condenar tanto os alegados cânticos racistas dos torcedores do Dijon e a falha do árbitro de seguir o protocolo para intervir na ação, quanto na decisão de agravar a experiência de Balotelli como vítima ao atribuir um cartão amarelo ao jogador simplesmente por requisitar ao juiz que faça seu trabalho.”



Gazeta Esportiva