PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Entrosamento de clube e padrão são trunfos para Danilo não decepcionar

Tite tem deixado claro a cada entrevista de que o grupo da Seleção Brasileira ainda não está fechado. E uma das vagas que ainda gera dúvida na cabeça do treinador é a do reserva de Daniel Alves na lateral direita. Fagner perdeu espaço nos últimos meses e Danilo voltou a ser convocado. Nessa sexta-feira o [?]

07:15 | 09/11/2017

Tite tem deixado claro a cada entrevista de que o grupo da Seleção Brasileira ainda não está fechado. E uma das vagas que ainda gera dúvida na cabeça do treinador é a do reserva de Daniel Alves na lateral direita. Fagner perdeu espaço nos últimos meses e Danilo voltou a ser convocado. Nessa sexta-feira o jogador do Manchester City será titular justamente para ser observado no amistoso contra o Japão, em Lille, na França.

?Não (posso) cair no erro de tentar fazer tudo em um jogo só. A consolidação de uma vaga no dia a dia da Seleção é a consolidação do trabalho no seu clube e, claro, oferecer segurança sempre que você tiver oportunidade de jogar. Não tenho que fazer nada diferente do que faço no meu clube?, comentou Danilo, que vai quebrar um jejum de pouco mais de dois anos sem entrar em campo pela Seleção.

?Eu, há seis meses não estava sendo chamado, não estava com essa perspectiva de jogar um jogo. Então, não tenho que pensar em quanto tempo falta (para a Copa do Mundo). É aproveitar o momento e tratar de ser feliz nesse momento aqui junto com meus companheiros?.

Leia Mais:

Com muitas mudanças, Brasil está definido para pegar o Japão

Substituto de Coutinho, Willian será capitão da Seleção contra o Japão

Danilo minimiza ?fator Guardiola? e enaltece trabalho de Tite

Para não decepcionar e agarrar a chance, Danilo tem dois trunfos. O primeiro deles é o fato de ter três companheiros de clube dentro do grupo brasileiro (Éderson, Fernandinho e Gabriel Jesus).

?Isso conta um pouco sim, porque em algum momento eu posso jogar com Gabriel Jesus ou Fernandinho, nos conhecemos bem em relação a movimentações, apoio de passe, e isso é muito importante, assim como os jogadores do PSG (Neymar, Thiago Silva, Daniel Alves e Marquinhos). É importante e traz uma ajuda grande dentro da Seleção, mas é só um ponto a mais. Para conquistar coisas grandes é preciso uma soma. Mas, sem dúvida o que vai dar resultado é o trabalho geral?, afirmou.

Outra questão que, segundo Danilo, lhe favorece é a forma de jogar da Seleção Brasileira sob o comando do técnico Tite. Além da tranquilidade diante da boa fase do Brasil na temporada, o esquema implantando pelo comandante ajuda principalmente quem não está habituado a atuar entre os titulares a entrar e corresponder sem grandes dificuldades.

?Você entra em um time que já tem padrão, que já tem movimentos estabelecidos, um esquema de pressionar o adversário definido, enfim? Tudo é padronizado, e isso é muito importante. E a gente está acostumado a trabalhar nas grandes competições, onde a pressão e a exigência são muito grandes. Você pega isso muito rápido. Sem dúvida nenhuma entrar em uma equipe onde é tudo padronizado é muito importante?, explicou o jogador de 26 anos.

O Brasil só tem mais dois desafios em 2017. Depois de garantir sua vaga na Copa do Mundo como líder das Eliminatórias Sul-Americanas, a Seleção encara o Japão nessa sexta, na França, e pega a Inglaterra na próxima terça, em Londres. Tite já anunciou mudanças no time para o primeiro dos dois amistosos e escolheu Willian para ser o capitão.

 

Gazeta Esportiva

TAGS