Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Claudinei discorda de pênalti, mas reconhece mérito do Coritiba

Claudinei reclamou do pênalti dado sobre Rildo
23:15 | Nov. 04, 2017
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O técnico Claudinei Oliveira demorou quase uma hora para deixar o vestiário do Avaí após a goleada por 4 a 0 sofrida para o Coritiba, na noite deste sábado, no Couto Pereira, mas nem comentou sobre a possibilidade de deixar o comando da equipe catarinense. Coeso, o treinador só reclamou do pênalti marcado sobre Rildo, que rendeu o segundo gol ao Coxa, mas reconheceu a superioridade do time da casa.

?Voltamos para tentar igualar o placar depois de sair atrás, mas tivemos um lance capital para a partida que foi o pênalti. Eu conversei com o árbitro, respeito muito ele, mas ele adotou um estilo de arbitragem que ele deixou passar muitas faltas no meio-campo e deu um pênalti como esse. Revi o lance, foi um contato de ombro. Se ele estivesse adotando um critério de marcar falta a qualquer contato, até entendo, mas não foi o caso?, explicou Claudinei.

Usando sempre dados para expor sua visão de jogo, o treinador justificou seus elogios à atuação dos avaianos com o que considerou detalhes da partida. Elogioso à atmosfera construída pela torcida do Coxa no Couto Pereira, ele considerou ter faltado certa experiência ao seu time.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

?Não acho que era um jogo para 4 a 0, mas a gente tem que ajustar algumas coisas, parar um pouco mais as jogadas. Terminamos o jogo com cinco faltas, o Coritiba fez 15. O time que venceu fez o triplo de faltas, não pode entrar num jogo decisivo assim e não matar a jogada. Mas quando se perde de 4 a 0 tem que dar os méritos para o Coritiba que venceu?, continuou.

O comandante ainda deixou claro sua irritação com o gol levado em escanteio cobrado por Carleto, que abriu o placar no Paraná. Para ele, todos os jogadores ficaram cabisbaixos porque haviam sido avisados dessa possibilidade antes da partida.

?Falei para os jogadores no intervalo, se for analisar as chances, as jogadas trabalhadas, as melhores foram nossas. Fizemos um bom jogo. Trabalhamos a bola parada, tínhamos uma preocupação, comentei até do Alan Santos, foi meu atleta do Santos, mas não tivemos atenção a essa movimentação que foi alertada. A batida foi perfeita, mérito deles também?, concluiu.

 

 

Gazeta Esportiva

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags