PUBLICIDADE
Futebol

Brasileiros mostram indiferença com chance de Messi não ir à Copa

A Seleção Brasileira está alheia à acirrada disputa pelas demais vagas sul-americanas na Copa do Mundo. Com o primeiro lugar das Eliminatórias assegurado, somando 38 pontos, o time de Tite dá de ombros à possibilidade de ser o fiel da balança na última rodada, em que terá o Chile como adversário, na terça-feira, no Palestra [?]

19:30 | 06/10/2017

A Seleção Brasileira está alheia à acirrada disputa pelas demais vagas sul-americanas na Copa do Mundo. Com o primeiro lugar das Eliminatórias assegurado, somando 38 pontos, o time de Tite dá de ombros à possibilidade de ser o fiel da balança na última rodada, em que terá o Chile como adversário, na terça-feira, no Palestra Itália.

Questionado sobre a possibilidade de o Mundial da Rússia ser realizado sem o meia argentino Lionel Messi, cinco vezes premiado pela Fifa como o melhor jogador do mundo, o goleiro Ederson abriu um sorriso. ?Para mim, é indiferente. O importante é que o Brasil está classificado. Se ele vai para a Copa ou não, não tem importância para mim?, disse o atleta do Manchester City, da Inglaterra, que será observado pelo técnico Tite como titular.

A escalação do Brasil, que poderá ter testes em outras posições, é olhada com atenção por várias das demais seleções do continente. Afinal, o Chile está na terceira posição das Eliminatórias, com 26 pontos, brigando por uma das quatro vagas diretas no Mundial da Rússia ? há ainda um lugar na repescagem, para o quinto colocado.

Hoje, Uruguai (28 pontos), Colômbia (26) e Peru (25) completam com Brasil e Chile o grupo dos cinco primeiros das Eliminatórias sul-americanas. Argentina (25) e Paraguai (24) seguem vivos na briga pela classificação à Copa do Mundo.

?A nossa cabeça está no nosso trabalho. O problema deles é problema deles?, avisou o lateral esquerdo Alex Sandro, que já ganhou uma chance como titular no empate por 0 a 0 com a Bolívia, na quinta-feira, em La Paz. ?Vamos pensar realmente no nosso trabalho, no dia a dia, no que podemos melhorar. O problema deles já não é nosso?, repetiu.

Alex Sandro, contudo, até contaria com um motivo para torcer pelos argentinos. Na Juventus, da Itália, ele ficou próximo dos atacantes Dybala e Higuaín, ambos compatriotas de Messi. ?Tenho amigos lá, mas não chegamos a tocar nesse assunto. Torço pela felicidade deles. Só que nós fazemos o nosso trabalho e eles, o deles?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS