PUBLICIDADE
Futebol

Wilstermann goleia e River Plate vai precisar de um milagre na Libertadores

O River Plate entrou em campo na noite dessa quinta-feira com a missão de ao menos levar um bom resultado para casa no primeiro duelo das quartas de final da Copa Libertadores da América diante do modesto Jorge Wilstermann. Mas, como história não entra em campo, o time boliviano soube usar bem o mando de [?]

23:45 | 14/09/2017

O River Plate entrou em campo na noite dessa quinta-feira com a missão de ao menos levar um bom resultado para casa no primeiro duelo das quartas de final da Copa Libertadores da América diante do modesto Jorge Wilstermann. Mas, como história não entra em campo, o time boliviano soube usar bem o mando de campo conseguiu um grande resultado em cima dos argentinos: 3 a 0 no Estádio Félix Capriles, na cidade de Cochabamba.

Agora a situação do River ficou dramática. O River precisará de quatro gols para avançar. Se levar um gol, precisará de um quinto gol. Ou seja, complicou muito. Só um milagre em Buenos Aires coloca os argentinos na semifinal da Libertadores.

Desde o começo do jogo os donos da casa deixaram claro que não estavam muito preocupados com quem estava do outro lado. Os dois primeiros lances já exigiram boas defesas do goleiro Lux e, aos quatro minutos, veio o primeiro gol. O zagueiro Zenteno, conhecido por ser ?gordinho?, acertou um lindo chute após cobrança de escanteio e abriu o placar.

Aos 19, o Wilstermann só não ampliou porque a arbitragem viu bem o impedimento do brasileiro Serginho. Não faltou lamentação no banco de reservas da equipe boliviana.

O River Plate, então, acordou. Até o intervalo, os argentinos foram em busca de um gol de empate e esqueceram o fato de estarem fora de casa. A pressão foi forte. Mas, Scocco e Martínez desperdiçaram as melhores chances o River foi para o vestiário em prejuízo.

Veio a etapa final e a situação ficou ainda pior. De novo antes dos cinco minutos, o Jorge Wilstermann balançou as redes. Chávez viu Álavrez na área e cruzou. O centroavante mergulhou de peixinho e mandou a bola para o fundo do gol de Lux.

Os jogadores do River Plate pareciam não acreditar no que estava acontecendo. E de novo foram salvos por um impedimento, pois outro gol do Wilstermann foi anulado por causa de um impedimento.

Daí para frente, Marcelo Gallardo mandou sua equipe toda para frente. O gol fora de casa se tornou necessário para que a situação não ficasse tão difícil em Buenos Aires. E oportunidade para isso não faltou Scocco isolou de dentro da pequena área, Martínez também errou o alvo a menos de cinco metros e, quando Martínez acertou o gol, Olivares fez uma defesaça.

Tanta pressão expos o River ao contra-ataque. E aí morava o perigo. O que estava complicado ficou pior. Aos 36 minutos da etapa final, Álavrez iniciou a jogada e esperou a chegada de Machado, que limpou a marcação e soltou uma bomba. Indefensável. 3 a 0 Jorge Wilstermann, para delírio dos torcedores, que pareciam não acreditar nas arquibancadas.

Quinta-feira que vem, o River Plate terá de colocar toda sua tradição à prova e usar o apoio incondicional de seus torcedores para ir atrás de um milagre. Ir à semifinal da Libertadores agora dependerá de uma goleada em cima dos surpreendentes bolivianos.

Gazeta Esportiva

TAGS