PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Vecchio alerta para força física do Barcelona-EQU, mas diz: ?Inteligência ganha?

O Barcelona de Guaiaquil ficou conhecido nesta edição da Libertadores como um time com muita força física. No jogo ida das quartas de final, na última semana, o Santos sofreu com esse problema. Afinal, em dividas com os equatorianos, Lucas Lima e Renato sentiram lesões e estão cortados da partida de volta, nesta quarta-feira, às [?]

16:00 | 19/09/2017

O Barcelona de Guaiaquil ficou conhecido nesta edição da Libertadores como um time com muita força física. No jogo ida das quartas de final, na última semana, o Santos sofreu com esse problema. Afinal, em dividas com os equatorianos, Lucas Lima e Renato sentiram lesões e estão cortados da partida de volta, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Vila Belmiro.

Na vaga do volante, quem deve entrar no time deve ser Emiliano Vecchio. Para o argentino, a questão física até pode beneficiar o Barcelona-EQU, porém, o que fará a diferença mesmo será a qualidade técnica.

?Fisicamente é um time muito forte, rápido, mas a inteligência ganha da força. Temos jogadores inteligentes para fazer correr a bola rápido. É um time que marca e faz muitas faltas, respeitamos, mas jogamos em casa, Santos tem a sua história e vamos respeitá-la amanhã. A principal arma deles é marcar forte e sair no contra-ataque. A classificação está aberta, se fizer um gol ficam perto. Estamos trabalhando para ter o cuidado necessário?, explicou o meia em entrevista coletiva nesta terça-feira, no CT Rei Pelé.

Após o empate em 1 a 1 na ida, no Equador, o Santos carrega uma pequena vantagem para o duelo de volta. Uma vitória simples ou um empate em 0 a 0 garantem o Peixe na semifinal. Para Vecchio, porém, a equipe comandada por Levir Culpi não pode se prender ao bom resultado conquistado no Equador e precisa manter o estilo de jogo para confirmar a classificação

?Eles são perigosos, rápidos. Se entrarmos no campo achando que com 0 a 0 vai passar, normalmente se perde o jogo. Vamos entrar no campo como se tivesse 0 a 0, tentar fazer um ritmo forte e ganhar o jogo?, concluiu o argentino.

Gazeta Esportiva

TAGS