PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

?Prefiro ter um estádio do que Neymar?, afirma diretor do Bayern

A contratação de Neymar pelo Paris Saint-Germain ainda faz parte dos noticiários esportivos. Dessa vez, quem falou sobre o assunto foi Karl-Heinz Rummenigge, diretor executivo do Bayern de Munique. Em entrevista exclusiva para o veículo de imprensa alemão Sport Bild, o dirigente questionou a aquisição do PSG, se mostrou preocupado com os rumos do futebol [?]

15:50 | 09/08/2017

A contratação de Neymar pelo Paris Saint-Germain ainda faz parte dos noticiários esportivos. Dessa vez, quem falou sobre o assunto foi Karl-Heinz Rummenigge, diretor executivo do Bayern de Munique. Em entrevista exclusiva para o veículo de imprensa alemão Sport Bild, o dirigente questionou a aquisição do PSG, se mostrou preocupado com os rumos do futebol no âmbito das transações e comparou o valor do brasileiro a compra de um estádio.

?Enquanto se falava dos valores da transferência de Neymar, me perguntei o que seria mais importante: ele ou a Allianz Arena. Tenho que dizer claramente que prefiro ter um estádio. Nós, aqui no Bayern de Munique, devemos ter uma filosofia diferente, não podemos entrar nessa loucura. Toda a transferência de Neymar poderia custar até mais que o nosso estádio?, disse o dirigente do clube bávaro.

Em 2005, o Bayern optou por um empréstimo de 346 milhões de euros (cerca de R$ 1,2 bilhão) para a construção da Allianz Arena. Em 2014, a dívida foi quitada, 16 anos antes do previsto no contrato.

A contratação mais cara do clube alemão nesta janela foi o meio-campista francês Corentin Tolisso, adquirido junto ao Lyon por 41,5 milhões de euros (cerca de R$ 153 milhões). Quando perguntado sobre a verba para contratações do clube francês, Rummenigge foi enfático ao dizer que não pode chegar aos mesmos números. ?Não queremos e não podemos gastar como o PSG. Tenho certeza que nossa torcida concorda com a nossa atitude?, afirmou o diretor.

Ainda sobre os valores exorbitantes que estão sendo vistos no futebol, o dirigente do Bayern revelou sua ideia rejeitada. ?Em 2011, antes da regra do fair play financeiro, conversei com a Uefa e outros clubes a fim de determinar um teto salarial para o futebol europeu, mas os políticos do futebol não aceitaram o que era desejo comum de muitos clubes. Isso poderia ter deixado o futebol mais racional?, declarou ex-jogador alemão.

Visando uma melhora do esporte, o diretor executivo do Bayern ainda acredita que os clubes possam se unir e com o apoio das entidades fazer um futebol mais ?racional?. ?Minha ideia atual, minha proposta, é que todos se sentem numa mesa e discutam melhorias para o futebol como um todo, regras mais racionais para que o esporte não perca seu brilho e os torcedores não deixem de ter conexão com seus clubes?, concluiu o Rummenigge.

Gazeta Esportiva

TAGS