PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Perto de ?estourar?, quinteto aproveita folga de jogos no Corinthians

Balbuena, Arana, Gabriel, Maycon e Jô estavam ?no limite? de acordo a comissão técnica do Alvinegro

13:37 | 08/08/2017

O Corinthians ficará 13 dias sem jogos pelo Campeonato Brasileiro, devido ao adiamento do jogo contra a Chapecoense para o dia 23 deste mês, algo visto pela comissão técnica como essencial para a recuperação de alguns atletas do elenco. Na avaliação dos profissionais que circundam Fábio Carille, cinco jogadores estavam perto de ?estourar? e ter lesões caso não tivessem um período sem jogos.

?Alguns atletas, sim, principalmente os atletas que mais atuaram na temporada, como Balbuena, Arana, Maycon e Gabriel. O Jô também?, explicou o preparador físico Walmir Cruz, que recebeu do treinador a incumbência de ?comandar? as semanas de treino, precisando tanto recuperar os jogadores quanto manter aqueles que estavam em perfeita condição física mesmo sem o ritmo de jogos vivido até o momento.

?Esses atletas estavam em um limite físico perigoso. Como trabalhamos essa parte preventiva, com números da fisiologia, conseguimos saber o limite. Por meio dessa comunicação resolvemos poupar um ou outro. Quando um atleta não treina, ele perde muito a capacidade física. Nossa preocupação é essa, de o atleta estar na plenitude da parte física?, continuou Walmir, que trabalha em conjunto com o fisiologista Antonio Carlos Fedato Filho, além de outros nomes.

?A sequência que a gente teve do início do ano para cá foi muito intensa, alguns atletas tiveram mais de 15 jogos consecutivos. Esses atletas são os que a gente vai ter um cuidado maior. Também com todos os atletas que jogaram o último jogo. Serão trabalhos mais leves para eles?, comentou Fedato Filho, responsável por avaliar os índices dos jogadores por meio de um GPS carregado pelos atletas tanto em jogos quanto treinos.

Até o duelo contra o Vitória, no dia 19, a comissão dividiu o elenco em praticamente três grupos: G1, G2 e G3. O primeiro é composto pelos titulares mais usuais, que estão desgastados. O segundo é dos atletas que ficam no banco, sem cansaço físico, mas que sentem falta do ritmo de jogo. O terceiro são os não-relacionados, em sua maioria jovens da base, trabalhados para, em uma eventualidade, serem relacionados ou até jogarem em casos extremos.

?Essa semana eu estou tendo até sonhos mais agradáveis, uma semana livre de treinamentos para fazermos ajustes. Dividimos o grupo. O pessoal com desgaste maior, que vem atuando, com jogos e viagens, colocamos para recuperar essa parte muscular. Com os outros, que seriam o grupo dois e três, do pessoal que não vem atuando ou entra do banco, estamos trabalhos mais específico de força e potência, e de campo para que eles não percam esse volume de treinamento?, concluiu.

Gazeta Esportiva

TAGS