PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Há 40 anos, Pelé era campeão em seu último jogo oficial

Há 40 anos, Pelé encerrava seu legado como ?revolucionário? do futebol nos Estados Unidos. No Civic Stadium (atual Providence Park), um estádio de beisebol adaptado às pressas, com capacidade para 27.400 pessoas e um público presente de 35.548 torcedores, o Rei realizou sua última partida oficial de futebol. ?Eu quero retirar-me como campeão?, disse Pelé [?]

21:45 | 28/08/2017

Há 40 anos, Pelé encerrava seu legado como ?revolucionário? do futebol nos Estados Unidos. No Civic Stadium (atual Providence Park), um estádio de beisebol adaptado às pressas, com capacidade para 27.400 pessoas e um público presente de 35.548 torcedores, o Rei realizou sua última partida oficial de futebol.

?Eu quero retirar-me como campeão?, disse Pelé à época à Gazeta Esportiva. E assim foi. No dia 28 de agosto de 1977, vestindo a camisa verde e o calção branco do Cosmos, de Nova York, Pelé venceu o Sounders, de Seattle, e se sagrou campeão da Liga Norte Americana de Futebol (NASL). No confronto, o gênio viu sua equipe triunfar por 2 a 1 e, o fato de não ter balançado as redes, não incomodou o brasileiro.

?Não estou triste. Tentei, dei meus chutes, mas não foi possível. O importante é que vencemos e não me importa quem fez os gols porque somos uma equipe?, disse o craque à Gazeta Esportiva.

Ainda que não tenha deixado seu gol, a atuação de Pelé esteve longe de ser irrelevante. A Gazeta Esportiva relatou que, mesmo aos 37 anos, o craque teve lances que lembraram seus melhores tempos, quando defendeu o Santos e a Seleção Brasileira.

Além disso, o camisa 10 estava longe de precisar ?jogar sozinho?. Franz Beckenbauer, o italiano Giorgio Chinaglia e o capitão do tri, Carlos Alberto Torres também estavam no esquadrão nova-iorquino, e o alemão foi inclusive escolhido como o melhor jogador do torneio, recebendo um Toyota Celica 1977, cor vinho, e um cinzeiro de prata.

No entanto, apesar dos astros, foi o jovem de 21 anos, Steve Hunt, quem brilhou na partida. O britânico anotou o primeiro gol, e, após o Cosmos sofrer o empate, deu assistência para Giorgio Chinaglia fechar o marcador e decretar a vitória. Após o confronto, o jogador, que venceu o prêmio de revelação do campeonato, dividiu os méritos com o Rei.

?Essa foi uma das muitas coisas que Pelé me ensinou e por isso eu senti que deveria jogar o dobro para premiá-lo?, disse Hunt, à Gazeta Esportiva. O britânico só deixou a humildade de lado quando questionado se deveria receber um aumento pela atuação decisiva em meio à tantos craques. ?Claro que sim! Muito mais!?

O regulamento da NASL previa que a final deveria ser disputada em campo neutro, e o estádio sorteado, em Portland, fica a apenas 280 km de Seattle, o que fez com que 90% do público da decisão fosse do Sounders. Mesmo assim, ao apito final, Pelé foi carregado entusiasticamente pelos torcedores, que invadiram o gramado. Depois disso, ele nunca mais calçou as chuteiras para jogar uma partida competitiva.

O Cosmos tinha uma turnê mundial para realizar nos meses seguintes, com partidas contra as seleções de Trinidad, China e Japão, mas a despedida de Pelé ocorreu 34 dias depois, em Nova York, em jogo amistoso entre Santos e Cosmos. Na ocasião, o Rei atuou um tempo em cada equipe, e marcou um gol de falta na segunda etapa, vestindo a camisa do clube do coração, que foi derrotado por 2 a 1.

?Certamente Pelé pode dizer-se recompensado pelo estímulo e dinâmica que consegui dar ao futebol dos Estados Unidos. Ele tirou a frieza do povo para o esporte e aliou sua arte a tecnologia norte-americana. Hoje, o futebol nos Estados Unidos é um misto de arte (dentro de campo)  alto grau de sofisticação fora dele com aparelhagem de vídeo-tape completa para que o público e autoridades dissipem suas dúvidas sobre os lances mais discutidos?, relatou a Gazeta Esportiva à época.

Gazeta Esportiva

TAGS