Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Fabrício comemora fase e quer Furacão lutando por algo mais no returno

A chegada do lateral esquerdo Fabrício ao Atlético Paranaense não poderia ter sido melhor para o atleta, que vivia um momento instável na carreira, mas, logo após sua apresentação, não ficou mais de fora do time. Já são cinco partidas e, no final de semana, diante do Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, a expectativa é de [?]
23:30 | Ago. 24, 2017 Autor - Tipo Notícia

A chegada do lateral esquerdo Fabrício ao Atlético Paranaense não poderia ter sido melhor para o atleta, que vivia um momento instável na carreira, mas, logo após sua apresentação, não ficou mais de fora do time. Já são cinco partidas e, no final de semana, diante do Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, a expectativa é de mais uma vez estar em campo, retribuindo a boa recepção que teve.

?Antes de vir, tive boas informações. O grupo me acolheu bem e isso ajudou neste meu início aqui no Atlético?, afirmou o jogador, que ganhou a tão esperada sequência de partidas para mostrar serviço. ?Eu estava jogando pouco. Aqui, pude ter uma boa sequência de jogos e isso foi importante. Já atuei em cinco partidas e espero continuar jogando. Com ainda mais sequência, posso seguir evoluindo e ajudando neste segundo turno?, emendou.

O lateral projeta jogos difíceis na segunda metade da competição, mas também sabe que essa é a hora de saber quem está brigando por algo mais e o foco é a Libertadores. ?O segundo turno é sempre mais complicado. Já sabemos quem é o pelotão da frente e quem está na parte de baixo. Nós estamos entre os primeiros, fizemos um bom jogo contra o Grêmio e agora teremos outra partida difícil fora de casa?, disse.

Com a equipe em claro momento de reação, Fabrício mostra confiança para voltar da Ilha do Urubu com um om resultado, somando pontos diante de um adversário direto. ?A equipe tem feito bons jogos, bem postada. É um grupo bom e isso reflete dentro de campo. Vamos ligados, para tentar somar mais pontos?, concluiu.

Gazeta Esportiva

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Presidente defende voto impresso nas eleições durante live

Política
2021-07-29 22:53:35 Autor Agência Brasil Tipo Notícia

O presidente Jair Bolsonaro voltou hoje (29) a defender a utilização do voto impresso nas eleições durante a realização de live semanal, que nesta quinta-feira, excepcionalmente, durou 2 horas e 49 minutos. Normalmente, a live presidencial tem a duração de cerca de 1 hora. 

Durante transmissão realizada pelas redes sociais, e que teve, entre outros, a participação do Ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, foram apresentados vídeos de eleitores que foram às urnas em eleições anteriores apontando supostos indícios de fraudes na utilização da urna eletrônica.

“Voto impresso auditável e contagem pública dos votos é um instrumento de cidadania e paz social, garantia de paz e prosperidade, de harmonia entre os Poderes. Nenhum Poder é absoluto, todos nós temos limites. O que o povo quer, e nós devemos atendê-lo, é exatamente um sistema de votação onde se possa ter a garantia de quem se votou, o voto vai para aquela pessoa. Assim, nós conseguiremos, com toda certeza, uma paz no Brasil, conseguiremos antecipar possíveis problemas e nós partiremos para a normalidade”, afirmou. 

Bolsonaro desafiou aqueles que cobram que ele apresente provas de que há fraude na urna eletrônica a mostrarem que o sistema não pode ser fraudado. “Será que se fazer eleições é seguro, é blindado? Os que me acusam de não apresentar provas, eu devolvo a acusação. Me apresente provas [de que a urna eletrônica] não é fraudável”.

O presidente também disse que defende a realização das eleições. “Eu quero eleições no ano que vem, vamos realizar eleições ano que vem, mas eleições limpas, democráticas, sinceras”, afirmou.

TSE

Mais cedo, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, voltou a defender a segurança da urna eletrônica. Durante um evento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Acre, o ministro voltou a reafirmar que jamais foi registrada nenhuma fraude desde a implantação das urnas eletrônicas, em 1996.

De acordo com o ministro, antes das urnas eletrônicas, urnas de lona desapareciam, votos em branco viravam votos para candidatos e “toda eleição tinha a suspeição da fraude”. 

Barroso disse que a decisão sobre a adoção do voto impresso no país é do Congresso Nacional, mas considera que a medida não é segura. “Ele [voto impresso] precisa ser transportado. Estamos falando de 150 milhões de votos em um país em que muitas regiões têm problemas de roubo de carga, milícias e facções criminosas. Vamos criar um mecanismo de auditoria que vai trazer insegurança, riscos para o sistema”. 

O ministro reafirmou que o voto eletrônico é auditável.  “Gostaria de desfazer a crença de que voto impresso e voto auditável sejam a mesma coisa. O voto eletrônico é auditável quando tudo começa, porque o programa tem seu código-fonte aberto a todos os partidos. A urna produz um arquivo digital chamado registro digital do voto e qualquer partido pode pedir e imprimir os votos. O sistema é seguro, transparente e auditável em muitas de suas etapas”.

Pela sua conta oficial no Twitter, o TSE respondeu à live do presidente. Entre outras postagens, o tribunal postou que “investigadores da edição de 2019 do Teste Público de Segurança (TPS), entre os quais, peritos da @policiafederal, admitem que novas barreiras de segurança da urna eletrônica são eficazes”.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Nordestinos são os que mais compram cuscuz nos apps de comida no Brasil

DEMANDA
2021-07-29 22:50:00 Autor Rede Nordeste Tipo Notícia

O cuscuz é uma tradição no Nordeste. Mas além de ser preparado nas casas, o prato tem demanda grande pelos aplicativos de delivery de alimentos. Uma pesquisa da 99 Food em parceria com o Instituto Ipsos e Datafolha aponta que, na região, os pedidos para consumo tanto no café da manhã quanto no almoço e jantar (com acrescido de carne ou outra proteína) totalizam 22% da preferência dos clientes. A marca é muito maior que a média nacional, de 6%.

O fenômeno está ligado à disposição dos nordestinos em consumirem produtos regionais. Das cinco regiões do Brasil, é o Nordeste que mais regionaliza seus pedidos de alimentos. Segundo o estudo, 83% dos entrevistados têm o costume de comer pratos típicos de seus estados. O Nordeste também se destaca como a região com a mais forte ligação com sua cultura gastronômica (93%), seguida da região Sul (87%).

Dos participantes da pesquisa, 41% consideram que consumir pratos locais é uma forma de valorizar a cultura de sua região, enquanto 29% entendem que a comida local os conecta com seus familiares.

A demanda por consumo de comida típica caseira aumentou nos apps de delivery de comida. Considerada uma forma de valorização da cultura gastronômica e de conexão com as memórias afetivas familiares, a comida regional é valorizada por 83% dos brasileiros.

A utilização dos aplicativos de delivery

Na pandemia, 64% dos brasileiros passaram a utilizar apps de entrega de comida. Num recorte por idade, os idosos tiveram um incrementos de 80%. Mais de 60% dos brasileiros pretendem manter os pedidos mesmo quando o cenário for normalizado.

O ticket médio do consumidor de apps de delivery é de R$ 27,50. A classe C, juntamente com a A/B aumentou o uso de apps de delivery em cerca de 60%.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

O POVO lança mudanças no portal, que fica mais rápido e moderno

Jornalismo
2021-07-29 22:50:00 Autor Tipo Notícia

O POVO estreia inovações no portal, que fica mais ágil e moderno, nesta quinta-feira, 29. O foco é a melhoria da performance e da experiência do usuário na navegação das páginas. Com um design reformulado, o portal apresenta novidades na tipografia, nas cores e nos elementos visuais. Além disso, e sobretudo, a mudança evidencia o aperfeiçoamento do carregamento das páginas e do conforto na leitura para o público.

O projeto de desenvolvimento foi feito para que o site seja lido mais rápido pelos navegadores e que a página carregue de modo mais célere – sob as melhores estratégias de otimização para os mecanismos de busca, o SEO. Mais espaços em branco e menos cores ajudam a retirar a poluição visual e a ter mais contraste na leitura.

 

 

“Não é só uma alteração no design. O foco é o cuidado em melhorar a performance do portal e levar melhor experiência de leitura para o usuário. A página interna passa a ser centralizada, pois o protagonismo aqui é o conteúdo. As imagens têm mais destaque, e os elementos estão respirando mais nas páginas. As mudanças estão sendo lançadas hoje, mas a gente continuará inovando com frequência”, afirma Brenda Câmara, gerente de produtos e UX.

Os estudos para a execução das mudanças foram iniciados em 2019, com o diagnóstico do que precisava ser transformado e as pesquisas para as alterações. Brenda Câmara, que executou o projeto junto com o UI/UX designer Matheus Sales, conta que este é o início de um processo de mudanças que serão constantes.

A marca do O POVO não foi alterada, mas recebeu modificações nas cores – com um tom de azul específico, mais forte. A página inicial do portal, com a disposição das chamadas de forma dinâmica, ganha mais movimento. A seção de notícias mais lidas muda de local, e a barra dos colunistas tem novo desenho, destacando os artigos.

Não há mais diferença de cores entre as editorias. Assim, o realce vai para a paleta de azul, para reforçar a cor do O POVO. O player da Rádio O POVO CBN está disponível também na home; assim, o usuário pode acompanhar a rádio enquanto consome as notícias do portal.

Brenda Câmara, que participou do projeto anterior do portal, há cinco anos, avalia que este é um marco para a página. “O POVO permanece responsivo no mobile (no acesso pelos dispositivos móveis), com uma diferença de layout e tipografia própria. Outras grandes mudanças serão sentidas depois. O mais importante é a nova experiência de conteúdo para o leitor. Estamos todos muito felizes com o resultado”, diz Brenda, que é bacharel em Design.

Mudança no nome

O editor de Cotidiano, o jornalista Érico Firmo, reforça a simplicidade e a organização das matérias sobre o mesmo assunto. De acordo com ele, está mais fácil e intuitivo navegar entre conteúdos do mesmo tema. “Nosso objetivo é tornar o portal mais simples, organizado, com visual mais limpo e bonito. O objetivo final é apresentar e organizar melhor a informação para quem nos acessa e deixar mais fácil e prazeroso encontrar as informações”, frisa o jornalista.

Outra mudança lançada agora é o nome, que deixa de ser portal “O POVO Online” e passa a adotar o nome da marca, portal O POVO. Érico Firmo explica que já não fazia mais sentido usar o “online” como uma nova mídia – no caso do O POVO, há duas décadas.

O portal O POVO não é uma mídia, como impresso, rádio, revista ou TV. “É um porta-aviões onde estão todas as mídias e linguagens. E tudo isso é O POVO. O público assim já nos reconhece há muito tempo. É O POVO, independentemente do formato e da plataforma. Estamos materializando algo que já é realidade para quem nos acessa. Já somos e sempre seremos O POVO, e o leitor sabe disso. Na perspectiva de simplificar, o portal é apenas O POVO. Isso já é muita coisa”, constata Érico.

SERVIÇO

Confira o portal O POVO renovado, mais rápido e moderno em www.opovo.com.br

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará tem 17,36% da população vacinada contra a Covid-19

VACINÔMETRO
2021-07-29 22:48:00 Autor Mirla Nobre Tipo Notícia

O Ceará tem um total de 1.595.174 pessoas que completaram a imunização contra a Covid-19 (duas doses de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 17,36%* da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado. Em relação à primeira dose (D1), 3,8 milhões de pessoas receberam a vacina, contabilizando 41,60% da população do Estado. Ceará aplicou mais de 5,4 milhões de doses da vacina contra a doença em seis meses da campanha de vacinação contra a doença.

As informações são da plataforma Vacinômetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), consolidadas às 17 horas dessa quarta-feira, 28. Já as estimativas da quantidade populacional são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A plataforma ainda mostra que, nas últimas 24 horas, 10 mil pessoas receberam a D1, 15 mil a D2 e 430 a dose única.

LEIA MAIS | Xepa de vacina contra Covid-19 existe em Fortaleza? Saiba como o processo funciona

+ Covid: Variante Delta é identificada em viajantes que chegaram a Fortaleza

No levantamento dos imunizantes que chegaram ao Ceará, por meio do Plano Nacional de Imunização (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde, mais de seis milhões de vacinas foram entregues ao Estado e foram distribuídas aos 184 municípios. A população vem sendo contemplada com doses das vacinas CoronaVac/Instituto Butantan, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/Johnson&Johnson — esta última utiliza apenas uma dose de aplicação para imunização contra o vírus.  

Confira os números da vacinação no Ceará

Total de doses aplicadas: 5.417.527
Total de D1 aplicadas: 3.822.110
Total de D2 aplicadas: 1.447.330
Total de doses únicas aplicadas: 148.087

LEIA TAMBÉM | Municípios cearenses estão aplicando a 2ª dose da AstraZeneca antes do prazo máximo de 90 dias

Campanha de vacinação

Na campanha de vacinação contra a Covid-19 no Estado, todos os municípios cearenses já começaram a vacinar a população em geral. A nova etapa da campanha acontece de forma escalonada por ordem decrescente de idade, a partir dos 59 anos. Para receber a vacina, as pessoas devem estar devidamente cadastradas na plataforma Saúde Digital, da Sesa.

LEIA MAIS | Perdeu data da segunda dose da vacina contra Covid? Saiba onde ser imunizado

+ Passo a passo: como se cadastrar para a vacinação contra a Covid-19 no Ceará

Além do público em geral, as pessoas incluídas nos grupos prioritários das fases 1, 2, 3 e 4, do PNI, estão recebendo os imunizantes contra o coronavírus em paralelo. Dentre as categorias, estão: trabalhadores da saúde, idosos, indígenas, quilombolas, pessoas com comorbidades, grávidas, puérperas, pessoas portadoras de deficiência, moradores de rua, trabalhadores da educação, profissionais do transporte coletivo rodoviário, metroviário, aéreo, aquaviário, portuários entre outros.

Em Fortaleza, quem perdeu o agendamento para vacinação contra Covid-19 deve esperar por um novo dia de repescagem. As datas são divulgadas pela Prefeitura da Capital. A orientação da Prefeitura é que as pessoas acompanhem as redes sociais da gestão para saber quando será o agendamento para repescagem da primeira dose (D1). No entanto, a medida não é para todos.

Os moradores de que tenham idade igual ou superior a 45 anos e perderam o agendamento não mais precisarão aguardar a repescagem para se vacinarem. Eles poderão se dirigir a qualquer unidade de imunização na Capital para serem imunizados. A medida foi anunciada pelo prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), por meio das redes sociais, no último domingo, 18.

Veja os números de vacinados por grupo prioritário no Estado**

- Profissionais de Saúde (fase 1)

Dose 1 (D1): 259.285 (102%*)
Dose 2 (D2): 210.051 (81%)
Dose Única (DU): 1.253

- Idosos institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 2.259 (111%)
Dose 2 (D2): 2.189 (108%)
Dose Única: 0

- Indígenas (fase 1)

Dose 1 (D1): 19.468 (95%)
Dose 2 (D2): 19.185 (94%)

- Idosos > 75 anos (fase 1)

Dose 1 (D1): 375.329 (108,86%)
Dose 2 (D2): 359.376 (104,24%)
Dose Única: 95

- Deficientes institucionalizados (fase 1)

Dose 1 (D1): 559 (148,28%)
Dose 2 (D2): 534 (138%)
Dose Única: 0

- Idosos entre 70 e 74 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 238.230 (107,28%)
Dose 2 (D2):216.966 (97,87%)
Dose Única (DU): 93

- Idosos entre 65 e 69 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 270.424 (98,08%)
Dose 2 (D2): 254.139 (92,17%)
Dose Única (DU): 93

- Idosos entre 60 e 64 anos (fase 2)

Dose 1 (D1): 334.709 (99%)
Dose 2 (D2): 244.482 (67%)
Dose Única: 528

- Povos e comunidades quilombolas (fase 2)

Dose 1 (D1): 14.858 (100%)
Dose 2 (D2): 12.550 (81%)
Dose Única: 0

- Trabalhadores da Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (fase 2)

Dose 1 (D1): 32.619 (111%)
Dose 2 (D2): 8.044 (27%)
Dose Úncia: 49

- Gestantes, Puérperas e Comorbidades (fase 3)

Dose 1 (D1): 51.325 (89%)
Dose 2 (D2): 10.813 (19%)

- PCD e Comorbidades (Fase 3)

Dose 1 (D1): 416.470 (81%)
Dose 2 (D2): 48.085 (9%)
Dose Única: 637

- Trabalhadores da Educação (Fase 4)

Dose 1 (D1): 174.799 (97,76%)
Dose 2 (D2): 1.836 (1%)
Dose Única: 264

- Trabalhadores Portuários (Fase 4)

Dose 1 (D1): 2.966 (132%)
Dose 2 (D2): 22
Dose Única: 1

- Trabalhadores Transporte Aéreo (Fase 4)

Dose 1 (D1): 1.608 (95%)
Dose 2 (D2): 141
Dose Única: 4

*A Sesa destacou que os dados oscilam negativamente em relação aos dias anteriores por consequência de ajustes nas planilhas enviadas pelos municípios.

**As porcentagens da vacinação da população cearense são definidas com base em metas estabelecidas pela Secretaria Estadual da Saúde do Ceará (Sesa) para cada público prioritário. As taxas de aplicação correspondem às doses que já foram distribuídas. Mediante o envio de lotes de vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), as doses dos imunizantes são distribuídas aos municípios proporcionais às estimativas populacionais de cada grupo prioritário (meta).259.285

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags