PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Carille defende reservas do Corinthians e vê Kazim ansioso

O técnico Fábio Carille tem o hábito de nunca lamentar um desfalque do Corinthians, com a intenção de valorizar os seus reservas. Os torcedores que foram a Itaquera neste sábado, no entanto, reclamaram bastante dos substitutos de Jô, Romero e Guilherme Arana ? os atacantes cumpriram suspensão contra o Atlético-GO, e o lateral esquerdo está [?]

22:15 | 26/08/2017

O técnico Fábio Carille tem o hábito de nunca lamentar um desfalque do Corinthians, com a intenção de valorizar os seus reservas. Os torcedores que foram a Itaquera neste sábado, no entanto, reclamaram bastante dos substitutos de Jô, Romero e Guilherme Arana ? os atacantes cumpriram suspensão contra o Atlético-GO, e o lateral esquerdo está lesionado.

O centroavante inglês naturalizado turco Kazim foi quem mais irritou o público na surpreendente derrota por 1 a 0 para o lanterna do Campeonato Brasileiro. Aplaudido por sua disposição no primeiro tempo, ele errou bastante no segundo e virou alvo fácil de críticas após o gol de cabeça do zagueiro Gilvan, aos dois minutos.

?A ansiedade é normal para um atacante. É preciso controlar isso?, comentou o técnico Fábio Carille, estendendo a justificativa à atuação do pouco objetivo meia-atacante Clayson, outro que desperdiçou uma chance clara de empatar o jogo. ?O Clayson ainda não fez um gol, né? Ele já teve bons jogos em casa?, argumentou.

Para piorar, Kazim sofre com as comparações com o seu concorrente de posição. Jô é um dos artilheiros do Campeonato Brasileiro, com os mesmos 12 gols marcados pelo também centroavante Henrique Dourado, do Fluminense, e goza de status de ídolo da torcida.

?A fase do Jô diz tudo. É um dos goleadores e está com ritmo de jogo. Desde o começo do ano, vem se entregando. É claro que ele faz falta, assim como o Arana, o Romero, o Balbuena? São jogadores de qualidade?, reconheceu Carille.

Alguns suplentes, no entanto, já são contestados também pela força do hábito. É o caso do lateral esquerdo Moisés, que deixou a desejar mais uma vez. ?É muito difícil substituir o melhor lateral esquerdo do Brasileiro. Ele não vai atingir o nível do Arana, porque é o melhor do País?, defendeu o técnico do Corinthians, antes de admitir que a disparidade entre titular e reserva vai além do aceitável. ?É claro que o Moisés ficou um pouco abaixo. Está sem ritmo de jogo ainda.?

Nem todos os jogadores do Corinthians que ganharam recentemente a oportunidade de jogar estão em baixa. O zagueiro Pedro Henrique, ocupando a vaga do contundido Balbuena, continua a receber elogios ? embora o Atlético-GO, retrancado, quase não tenha oferecido perigo neste fim de semana.

?O Pedro já mostrou que está bem substituindo o Balbuena?, concluiu Fábio Carille, ansioso para recuperar os seus titulares que estão no departamento médico.

Carlinhos

Kazim não foi o único centroavante do Corinthians utilizado contra o Atlético-GO. Em desvantagem no placar, Fábio Carille fez a alegria dos torcedores ao promover a estreia do jovem Carlinhos, que ocupou o posto de Moisés.

?Coloquei o Carlinhos porque o jogo estava para isso, para mais presença na área. Mas foi só a primeira oportunidade dele. Foi muito pouco para falar alguma coisa?, disse o técnico, que viu o prata da casa terminar a partida sem ter uma chance de gol.

Gazeta Esportiva

TAGS