PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Falta de padrão e eliminações: motivos para a queda de Rogério Ceni

11:06 | 04/07/2017
Rogério Ceni cabisbaixo
Rogério Ceni cabisbaixo (Foto: )

[FOTO1] 

O técnico Rogério Ceni foi anunciado pelo São Paulo em novembro de 2016. Antes de iniciar seu trabalho, o discurso era de trazer uma nova mentalidade ao futebol brasileiro, após passar parte do ano na Europa, fazendo estágios em clubes importantes e com técnicos de peso, como Jorge Sampaoli, à época no Sevilla.

Porém, após três eliminações (Paulista, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana), além de o Tricolor ocupar a zona de rebaixamento no Brasileiro, a diretoria preferiu interromper o trabalho do ex-goleiro.

Entre os motivos que levaram Ceni a cair estão a falta de padrão de jogo do São Paulo, que iniciou o ano com um time ofensivo e aos poucos foi recuando, a venda de diversos atletas que eram peças importantes para o comandante, como Luiz Araújo e Thiago Mendes, e também um princípio de pressão da torcida, que começou a reclamar dos maus resultados.

Confira abaixo algumas das razões para a queda do treinador:

Falta de padrão de jogo

No início do ano, era comum ver o São Paulo marcando muitos gols, mas também cedendo um número elevado de tentos. Com isso, o time foi recuando, inclusive optando por usar três zagueiros. No Brasileiro, por exemplo, são dez gols em 11 jogos, menos de um por partida na média. No Nacional, ficou evidente também a falta de criatividade, com o time abusando dos cruzamentos para a área.

Polêmicas no vestiário

Na semifinal do Paulista, contra o Corinthians, o zagueiro Rodrigo Caio se acusou em lance no qual o corintiano Jô havia sido punido com amarelo, posteriormente retirado pelo árbitro. Ceni deixou transparecer irritação com o fair play do defensor. Além disso, se envolveu em situação na qual teria, supostamente, atirado prancheta em Cícero.

Venda de atletas

Desde que chegou, no início do ano, Rogério perdeu peças importantes, como os jovens David Neres e Luiz Araújo, o volante Thiago Mendes e os zagueiros Lyanco e Maicon. Com as constantes vendas, não conseguiu dar sequência a uma equipe titular.

Pressão da torcida

Ainda que a diretoria do clube tenha sido bastante questionada pela torcida são-paulina, Ceni não passou ileso. Nas redes sociais, houve contestações a algumas escolhas do comandante, como as poucas chances ao ídolo Diego Lugano.

Eliminações

Por fim, a sequência de eliminações pesou na demissão de Rogério. No Paulista, a equipe atingiu a semifinal, mas perdeu para o rival Corinthians. Na Copa do Brasil, queda nas oitavas de final para o Cruzeiro. Vitória no Mineirão, que quase deu a classificação ao Tricolor, deu algum respiro ao técnico.

Porém, o maior vexame veio na Sul-Americana. Contra o modesto Defensa y Justicia-ARG, que nunca havia disputado partida fora de seu país, o São Paulo acabou empatando por 0 a 0 fora de casa e, no Morumbi, precisando de resultado simples, nova igualdade, desta vez por 1 a 1. Pelo gol marcado fora, os argentinos avançaram.

TAGS