select ds_midia_link from midia where cd_midia = limit 1 }else{}
Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Tóquio: após ouro e prata, Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo

Autor - Agência Brasil
Foto do autor
- Agência Brasil Autor
Tipo Notícia

A paulista Rebeca Andrade encerrou nesta segunda-feira (2) sua participação na Olimpíada de Tóquio (Japão) na quinta colocação da prova do solo na ginástica artística. Ao som de Baile de favela, a atleta de 22 anos fez uma apresentação bem-sucedida na final, entretanto deu passo para fora do tablado na primeira acrobacia, o que lhe fez perder um décimo. Rebeca somou 14.033 pontos, ficando atrás em 0.133 das medalhistas de bronze, a japonesa Mai Murakami e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, que empataram com 14.166 pontos

Rebeca, Zanetti e Caio: veja fotos dos brasileiros nas finais da ginástica artística

2021-08-02 09:10:54
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Time Brasil participou na manhã desta segunda-feira, 2, das finais das provas de solo, argolas e salto da ginástica artística com Rebeca Andrade, Arthur Zanetti e Caio Souza. Os brasileiros não conseguiram notas suficientes para subir ao pódio. Veja abaixo fotos da participação brasileira:

Leia também:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Após eliminação, Bruno agradece Evandro pela paciência após recuperação da covid-19

2021-08-02 09:01:00
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Nesta segunda-feira, Evandro e Bruno Schmidt foram eliminados pela dupla da Letônia formada por Plavis e Tocs e deram adeus à disputa pelo vôlei de praia nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Apesar do resultado negativo em quadra, Bruno viveu um grande drama em sua vida neste ano. O atleta teve grande parte do seu pulmão comprometido pela covid-19, porém conseguiu se recuperar a tempo de estar nas Olimpíadas.

Após a derrota, Bruno relembrou o período difícil vivido e agradeceu o parceiro pela cooperação e compreensão nos últimos meses.

"Queria jogar mais, o mundo todo está prestigiando, mas paciência. Quando olho para trás, vi que fiz meu máximo. Se cheguei aqui em condições de jogo, é porque fiz muita força lá atrás. É óbvio que eu queria ter ido mais longe, quando entro em quadra esqueço tudo o que passei. Agradecer Evandro pela paciência, por saber que eu talvez não chegaria na principal competição do vôlei de praia em meu melhor. Ele não se importou com isso", disse Bruno à TV Globo.

"A parte defensiva deles funcionou muito mais do que a nossa e, quando isso acontece, a gente joga com a pressão o tempo todo. Agíamos em toda a bola como se fosse a última. Mérito deles. Queria realmente estender ao máximo esse torneio, está bem gostoso de jogar. Triste com isso, mas feliz de ter tido a oportunidade de estar aqui. Há quatro meses, não sabia se poderia estar aqui ou não. Bruno e Evandro foram vencidos na bola hoje", completou.

Bruno ainda comentou sobre a postura pouco vibrante da dupla em quadra nesta segunda.

"Ao mesmo tempo que faltou vibração, a gente tentou ao máximo tranquilizar um ao outro. O tempo todo um falava: 'Você está passando do ponto, vamos respirar'. De certa forma, quando a gente puxa muito a tranquilidade, acaba faltando um pouco de vibração, sim", finalizou.

Ainda nesta segunda-feira, será a vez de Alison e Álvaro disputarem as oitavas de final do vôlei de praia. A dupla brasileira terá pela frente os mexicanos Rubio/Gaxiola, a partir das 9h (horário de Brasília).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Caio Souza sofre queda e termina a final do salto na última posição em Tóquio

2021-08-02 08:41:00
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Nesta segunda-feira, Caio Souza disputou a final do salto nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O brasileiro não esteve em um dia feliz, cometendo um erro grave em seu segundo salto e obtendo uma média de 13.683, terminando na oitava e última posição. O ouro foi conquistado pelo sul-coreano Jeahwan Shin, que terminou a prova com uma média de 14.783. A prata ficou para o russo Denis Abliazin e o bronze para o armênio Artur Davtyan.

Leia também: "Enquanto você dormia dia 10": Rebeca Andrade e Zanetti ficam fora de pódio na ginástica

Caio foi o segundo a saltar na final, em ordem definida por sorteio. Em sua primeira tentativa, o brasileiro apresentou três piruetas e caiu com um dos pés fora da linha, recebendo a nota 14.466.

Em seu segundo salto, Caio não foi feliz. O brasileiro não entrou bem no cavalo, o que interferiu no restante do movimento. O ginasta aterrissou sentado no chão e recebeu a nota 12.900. Com uma média de 13.683, ficou muito distante do pódio.

O armênio Artur Davtyan apresentou dois belos saltos e abriu vantagem na briga pelo ouro, ficando com uma média de 14.733. Em seguida, o sul-coreano Jeahwan Shin foi ainda melhor, arriscando no grau de dificuldade e obtendo uma média de 14.783.

A disputa seguiu muito acirrada, com o russo Denis Abliazin sendo regular nos dois saltos e emplacando uma média de 14.783, ficando na segunda posição, já que o grau de dificuldade de Jeahwan Shin foi maior.

Mais cedo, campeão olímpico Arthur Zanetti disputou a final das argolas e ficou na oitava e última colocação, após cometer um grave erro na saída. Em seguida, Rebeca Andrade, medalhista de ouro e prata em Tóquio, terminou a final do solo na quinta posição.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Tóquio: Isaquias e Jacky se garantem na semi da canoagem velocidade

Esportes
2021-08-02 08:37:52
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os baianos Isaquias Queiroz e Jacky Goldman se classificaram para a semifinal da prova C2 1000 metros da canoagem velocidade na Olimpíada de Tóquio (Japão) logo mais, às 21h44 (horário de Brasília), na baía Sea Forest Waterway, na capital japonesa. Se avançarem disputarão a final na sequência, às 23h46. 

"Minha conquista vai inspirar muitas pessoas", diz Rebeca em despedida da Olimpíada

tóquio 2020
2021-08-02 07:48:22
Autor Júlia Duarte
Foto do autor
Júlia Duarte Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Rebeca Andrade terminou sua participação na Olimpíada de Tóquio 2020 nesta segunda-feira, 2, com a quinta posição na prova do solo. A ginasta brasileira se despede dos Jogos Olímpicos com duas medalhas, um ouro e uma prata, além da esperança de que sua participação inspire outras pessoas para o esporte.  

A medalha de ouro no solo ficou a norte-americana Jade Carey, com 14.366. A italiana Vanessa Ferrari conquistou a prata com 14.200. Na terceira posição com o bronze, a russa Angelina Melnikova e a japonesa Murakami Mai ficaram empatadas com a nota de 14.166. 

LEIA MAIS| Olimpíada: Rebeca Andrade termina em quinto na final do solo da ginástica artística

Mesmo fora do pódio, a atleta não conseguiu esconder a sua felicidade, ressaltando a felicidade de ter competido. "Eu estou muito feliz com todas as apresentações que fiz, desde o primeiro dia. Amo me apresentar no solo. Estou levando para casa duas medalhas inéditas, que foram conquistadas com muito esforço, suor e o trabalho de muita gente, não tenho como não estar feliz", disse Rebeca ao fim da competição à Tv Globo.

"As pessoas conheceram bastante sobre a ginástica, a minha história e a história do esporte. Tive conquistas inéditas que vão inspirar muitas pessoas, já estão inspirando. Isso é um orgulho para mim, estou fazendo a diferença, assim como pessoas de outras gerações fizeram a diferença para que eu estivesse aqui", afirmou Rebca. A atleta ressaltou estar muito grata pela oportunidade de poder competir e ganhar: "Aproveitei o máximo que pude, todos vocês viram isso", pontuou. 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags