PUBLICIDADE
NOTÍCIA

"Quando o mundo mais precisa de diversão, fazer isso é uma agressão às pessoas", diz Florinda Meza sobre fim do Chaves

A atriz mexicana conhecida pelo papel de Dona Florinda revelou que não foi chamada para participar das negociações relacionadas à exibição do programa

11:07 | 03/08/2020
No Twitter, a intérprete de Dona Florinda manifestou sua insatisfação com o ocorrido (Foto: Manuela Scarpa/Photo Rio News)
No Twitter, a intérprete de Dona Florinda manifestou sua insatisfação com o ocorrido (Foto: Manuela Scarpa/Photo Rio News)

A atriz mexicana Florinda Meza, viúva de Roberto Bolaños, criador e intérprete de Chaves, criticou em suas redes sociais o impasse entre a Televisa e o SBT, que fez com que os seriados Chaves, Chapolin e Chespirito deixassem de ser exibidos no Brasil após 36 anos no ar. 

No Twitter, a intérprete de Dona Florinda manifestou sua insatisfação com o ocorrido e revelou que não foi chamada para participar das negociações.

"Qual a minha opinião sobre deixar de transmitir o programa Chaves? Ainda que eu não tenha nada a ver com isso, porque, inexplicavelmente, não fui convocada para as negociações, creio que agora, quando o mundo mais precisa de diversão, fazer isso é uma agressão às pessoas", escreveu.

Em uma série de posts, a atriz criticou a postura do grupo de TV mexicano e disse que a decisão vai contra os próprios interesses comerciais da empresa, pois, em um momento de pandemia é justamente quando as pessoas precisam se divertir.

"Pretender eliminá-lo é uma medida pouco inteligente. É triste comprovar que na sua casa, a quem você deu milhões de dólares, é onde menos te valorizam", afirmou Florinda.

A atriz escreveu ainda que alguns "executivos sem visão" tentam manchar a imagem de Bolaños, desrespeitando o público. "Pela primeira vez encontro uma razão para dizer 'que bom que meu Roberto não está neste mundo'. Este ato incompreensível chuta sua memória e aquilo que ele mais respeitava: o público", declarou.

Impasse

Na última segunda-feira, 31, o SBT informou que foi pego "de surpresa com a mudança contratual entre a rede mexicana Televisa, detentora dos direitos das fitas, e o Grupo Chespirito, dona dos roteiros escritos pelo ator Roberto Gómez Bolaños".

Segundo a emissora, a informação chegou por meio de notificação da Televisa, emissora mexicana detentora dos direitos da obra produzida, "na qual informa que a suspensão é devida a um problema pendente a ser resolvido com o titular dos direitos das histórias".