PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Fábio Assunção perde 27,5 kg para nova série e aproveita quarentena para estudar novo idioma

Ator contou que período de isolamento o fez notar mudanças internas

20:57 | 05/07/2020
Fábio Assunção publicou foto no último domingo, 16 (Foto: Reprodução/Instagram)
Fábio Assunção publicou foto no último domingo, 16 (Foto: Reprodução/Instagram)

O ator Fábio Assunção, 48 anos, aproveitou o período de isolamento social para intensificar uma rotina de hábitos saudáveis, perdendo 27,5 kg. Os quilos a menos são resultado inicial da preparação para o papel na série "Fim", da Globo, cujas gravações foram interrompidas por causa da pandemia. Ele também tem usado o tempo para se conhecer mais e curtir atividades que dão prazer, mas geralmente não tem tempo, como aprender novos idiomas.

Na história da série, baseada no livro homônimo de Fernanda Torres, o ator interpreta Ciro, um dos protagonistas. "Fui de 31% de gordura no corpo para 12%. Sigo a dieta à risca desde 14 de outubro e os treinos têm acontecido desde o dia 9 daquele mês. Tudo foi pensado para o trabalho, mas me trouxe disciplina na saúde e na vida e leveza espiritual e mental", contou Fábio à colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo.

De acordo com o ator, hoje seu peso é de 69,6 kg, mas já chegou a 97 kg. "Vejo um grande êxito. As academias fecharam, mas minha dieta continua. Não me exercito sozinho em casa porque não gosto, mas sei da importância", disse.

Ao Gshow, Fabio declarou também estar aproveitando o isolamento social para aprender e perceber mudanças em si e ao seu redor. "Tem sido um momento de muito aprendizado, onde eu percebo uma mudança no mundo, observo a natureza se impondo e colocando seus limites e, também, uma transformação em mim, uma mudança que corresponde a isso que está acontecendo no mundo. Me sinto no fluxo dessas mudanças", revelou.

Sobre o aprendizado de línguas, Fábio reflete que é um desafio que traz resultados diferentes para cada uma delas. Recentemente, ele começou a estudar iorubá, língua de matriz africana.

Para o ator, não é o momento das pessoas se cobrarem perfeição e o que funciona para uma pessoa pode ser diferente para outras. "As pessoas não podem se obrigar a fazer um milhão de atividades, acho que elas têm que acolher os sentimentos e respeitar o que estão sentindo. Às vezes o que é bom para mim não é bom para o outro. É preciso descobrir isso", acredita.

Com informações do jornal O Globo e do Correio, Via Rede Nordeste