PUBLICIDADE
Divirta-se
Polêmica

Rádio baiana é acusada por ouvintes de boicotar Pabllo Vittar

De acordo com o G1, a "Oeste FM", estaria bloqueando e atacando fãs da drag queen que pedem a música na rádio via WhatsApp

11:37 | 21/02/2019
Rádio baiana está se recusando a tocar "Seu Crime" de Pabllo Vittar em sua programação. (Foto: reprodução/Instagram)
Rádio baiana está se recusando a tocar "Seu Crime" de Pabllo Vittar em sua programação. (Foto: reprodução/Instagram)

Uma rádio baiana se envolveu em uma polêmica por se recusar a tocar "Seu Crime", de Pabllo Vittar. De acordo com internautas, a "Oeste FM", estaria bloqueando e atacando fãs da drag queen que pedem a música na rádio via WhatsApp.

A polêmica teve início na última semana, quando o locutor da emissora da cidade de Barreiras, Wendel Novaes, rebateu um fã da cantora que o acusou de homofobia durante uma discussão no aplicativo de conversa. "Não tem nenhum homofóbico aqui, não. Estou cansado de vocês aí de todo lugar do Brasil ficar mandando porra de mensagem pedindo essa desgraça de cantor aqui. A gente não toca e ponto final", disse em áudio.

"Não tem nada de preconceito, companheiro. Aqui a gente toca Maria Gadú, Ney Matogrosso, Emílio Santiago, Ana Carolina e Daniela Mercury. Agora o seu cantor a gente não toca, não tem música de sucesso e não está mais fazendo sucesso. Foi passageiro e ponto final", finalizou Wendel.

Pabllo Vittar chegou a comentar o assunto em seu perfil no Twitter, ironizando a afirmação do locutor de que sua música não faria sucesso. "Não toca na rádio, mas tá na boca do povo amor", escreveu a cantora.

Procurado pelo G1, o coordenador artístico da Oeste FM, Carlos Oliveira, afirmou que a atitude de Wendel Novaes foi "exagerada" e seu deu após o filho dele sofrer ataques nas redes sociais.

Você pode gostar também: 

Redação O POVO Online