Participamos do

Pandemia da Covid-19 reavivou antissemitismo, alerta União Europeia

Na Alemanha, a rede de associações RIAS observou que, nos primeiros meses da pandemia, 44% dos incidentes antissemitas registrados foram "associados ao coronavírus".
07:24 | Nov. 09, 2021
Autor AFP
Tipo Notícia

A pandemia da covid-19 "reacendeu" a retórica antissemita e abriu espaço para "novos mitos e teorias conspiratórias, culpando os judeus" pela atual crise sanitária - alerta um relatório europeu divulgado na terça-feira (9).

 

"O antissemitismo, especialmente na Internet, intensificou-se durante a pandemia", escreve a Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia (FRA), com sede em Viena, baseando-se em estatísticas oficiais e evidências coletadas por organizações da sociedade civil.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

Na Alemanha, a rede de associações RIAS observou que, nos primeiros meses da pandemia, 44% dos incidentes antissemitas registrados foram "associados ao coronavírus".

 

Na República Tcheca, a Federação das Comunidades Judaicas observou "um aumento da circulação dos discursos de ódio on-line", alimentado pelo movimento conspiratório, de oposição a vacinas e restrições.

 

Em termos mais gerais, "a falta de dados continua ocultando a realidade", lamenta a FRA, já que poucos membros da UE registram os incidentes antissemitas "de modo eficaz".

 

Alguns países, como Hungria e Portugal, não têm dados oficiais. Em muitos países, "a imensa maioria dos incidentes não é relatada: nem à polícia, nem a qualquer outra instituição", disse o relatório.

 

Em outubro, a UE apresentou sua primeira estratégia contra o antissemitismo em outubro, destinada a combater o ódio na Internet, reforçar a proteção das sinagogas e promover a transmissão da história do Holocausto.

 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags