Participamos do

Quem pode tomar a 3ª dose ou reforço da vacina contra a Covid-19?

Fortaleza iniciou a campanha nessa quarta-feira, 8, com idosos de 70 anos ou mais que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILP)
17:51 | Set. 09, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Com o objetivo de reforçar a necessidade da imunização para evitar óbitos pela Covid-19, a terceira dose (D3) ou dose de reforço da vacina contra a doença começou a ser aplicada no Brasil. O anúncio da campanha foi realizado no último dia 25 de agosto pelo Ministério da Saúde, informando que a aplicação do imunizante será feita em todos os idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos.

A pasta determinou que o começo da aplicação seria a partir do dia 15 de setembro. No entanto, algumas capitais brasileiras já anteciparam a campanha, como Rio de Janeiro (RJ), Campo Grande (MS), Salvador (BA), São Luís (MA), Goiânia (GO) e São Paulo (SP).

Em Fortaleza, a dose de reforço começou a ser aplicada nessa quarta-feira, 8. A Capital espera atender, neste primeiro momento, 862 idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILP). O Lar Torres de Melo, no bairro Jacarecanga, foi o primeiro local contemplado, onde 158 idosos já foram vacinados com a terceira dose.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Conforme o Ministério da Saúde, o público-alvo nesta fase da campanha são:

- Idosos com 70 anos ou mais que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses;

- Pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos) que tomaram a segunda dose ou dose única há pelo menos 28 dias.

Na campanha, as vacinas a serem usadas são:

- Preferencialmente Pfizer/BioNTech, segundo o Ministério;

- Também poderão ser utilizadas as vacinas da AstraZeneca e Janssen.

Grupos imunossuprimidos:

  • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea;
  • Pessoas com HIV;
  • Pessoas com doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida;
  • Pessoas em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias;
  • Pessoas com neoplasias hematológicas;
  • Pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses.

Terceira dose no Ceará

No Ceará, apenas Fortaleza iniciou a aplicação da terceira dose. A Capital já soma 158 idosos de 70 anos ou mais que receberam a dose de reforço, conforme informou a secretária-adjunta da Saúde, Aline Gouveia, em live nas redes sociais nesta quinta-feira, 9. Na campanha, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) deve vacinar idosos de 27 instituições em Fortaleza.

LEIA MAIS | Ceará ultrapassa marca de 8 milhões de doses de vacinas aplicadas contra Covid-19

Por meio de ligação, a SMS informou ao O POVO que espera o recebimento de novos lotes de vacinas do Ministério da Saúde para avançar na aplicação da terceira dose para demais idosos e imunossuprimidos.

A pasta destacou ainda que não tem uma logística definida para a vacinação da terceira dose para idosos que não vivem em ILP e imunossuprimidos, e se o público-alvo será orientado a ir aos pontos de vacinação ou se será atendido em domicílio.

O POVO procurou por e-mail a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) para explicar se será necessário novo cadastrado na plataforma Saúde Digital para receber a terceira dose do imunizante e como a pasta está articulando a campanha no Estado. Em nota, a Sesa informou apenas que “estão sendo realizadas reuniões técnicas para deliberar sobre a dose de reforço”.

A nova etapa da vacinação foi definida após reunião entre o Ministério da Saúde, representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). A reunião aconteceu em conjunto com a Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19 (CETAI).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags