PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Saiba como fazer o isolamento em casa de uma pessoa com Covid-19

Mesmo morando na mesma casa, especialistas e órgãos de saúde recomendam que protocolos sanitários sejam seguidos para evitar que mais pessoas se contaminem

Júlia Duarte
11:48 | 01/06/2021
Evitar o contato com pessoas com suspeita ou confirmação ajudar no controle das taxas de transmissibilidade e protege familiares que moram na mesma casa (Foto: Reprodução/Unsplash)
Evitar o contato com pessoas com suspeita ou confirmação ajudar no controle das taxas de transmissibilidade e protege familiares que moram na mesma casa (Foto: Reprodução/Unsplash)

Famílias inteiras levadas pela Covid-19. Filhos, mães, pais, tios e tias que se infectaram e acabaram passando para outros familiares. Essas são algumas das realidades dos mais de 20 mil mortos pelo coronavírus no Ceará. Mesmo com a taxa de transmissibilidade diminuindo em quase todo o Estado, ainda é preciso seguir a recomendação tanto do Ministério da Saúde, quanto da Secretaria da Saúde (Sesa), de isolar pacientes que apresentem sintomas de Covid-19 ou positivem para a doença para evitar a disseminação do vírus.

LEIA MAIS: Com mais de 20 mil mortes, Ceará pode iniciar uma 3ª onda antes de finalizar a 2ª

+Professora morre de Covid um dia após missa de 7º dia da mãe, no Interior do Ceará

A medida é adotada para diminuir a transmissão local e resguardar especialmente públicos mais vulneráveis como os idosos, que mesmo vacinadas ainda precisam evitar a contaminação. “Infelizmente, depois de um ano de pandemia, a gente ainda precisa permanecer com algumas medidas de restrição, especialmente o isolamento domiciliar. É importante para diminuir a transmissão dentro das comunidades e o risco de aumentar os casos”, afirma Melissa Soares Medeiros, infectologista do Hospital São José e do Hospital São Camilo.

Ela comenta que pelo tempo de pandemia, que já dura mais de um ano, a população tem tido dificuldades em seguir os protocolos sanitários. “Isso é uma dificuldade não só no nosso Estado, mas no mundo inteiro. Tanto que a terceira onda que aconteceu na Europa foi porque as pessoas não conseguiam mais ficar em isolamento em casa”, comenta ela.

LEIA MAIS: Três Estados já têm casos suspeitos de cepa indiana

A médica explica que a preocupação aumentou nesta nova onda por conta da disseminação de novas variantes da Covid-19, mais transmissíveis que as cepas “originais” do vírus. Segundo ela, acontecia de, muitas vezes, em uma família, uma pessoa ter o resultado positivo e outra não ter. O que vem sendo menos frequente nos últimos meses. “Nessa outra curva, a gente percebe muito, várias pessoas da mesma família adoecendo em cascata: primeiro um, depois o outro e acaba tendo uma transmissibilidade mais intensa”, pontua.

LEIA MAIS: Entenda o processo de mutação do coronavírus e saiba as diferenças entre variante, cepa e linhagem

Como lidar com um familiar infectado ou com suspeita

 

O Ministério da Saúde indica que se uma pessoa da casa tiver diagnóstico positivo, todos os moradores ficam em isolamento por 14 dias também. Caso outro familiar da casa também inicie os sintomas leves, o novo familiar deve reiniciar o isolamento de 14 dias. 

O paciente deve ficar em isolamento em um quarto sempre com a porta fechada e com a janela aberta para manter a ventilação. Se a casa tiver apenas um quatro, a prioridade deve ser do infectado e as demais pessoas devem dormir na sala. De acordo com a infectologista do HSJ, sozinho no quarto, o paciente pode ficar sem a máscara e recorrer à proteção apenas quando tiver que compartilhar o espaço com outras pessoas.

Móveis e maçanetas devem ser frequentemente limpos com álcool. Utensílios de uso pessoal, como toalhas de banho e talheres, ou móveis, como sofás e cadeiras, precisam ser separados, assim como o lixo produzido pelo paciente contaminado, de acordo com cartilha da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).