PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Morre William Shakespeare, segunda pessoa vacinada contra Covid-19 no mundo

Ele recebeu o imunizante da Pfizer/BioNTech em dezembro no Concentry, pouco depois de Margaret Keenan, de 91 anos.

Júlia Duarte
09:24 | 26/05/2021
Idoso recebeu a primeira dose de vacina da Pfizer contra a Covid-19 no primeiro dia de imunização em massa na Inglaterra  (Foto:  JACOB KING / AFP)
Idoso recebeu a primeira dose de vacina da Pfizer contra a Covid-19 no primeiro dia de imunização em massa na Inglaterra (Foto: JACOB KING / AFP)

A segunda pessoa no mundo vacinada contra a Covid-19, fora da fase de testes, o britânico William Shakespeare, de 81 anos, morreu na última quinta-feira, dia 20. O idoso faleceu devido a um derrame, que não teve relação com o coronavírus, de acordo com os hospitais universitários Coventry e Warwickshire NHS Trust. A informação foi noticiada na última terça-feira, 25, pelo veículo britânico, "BBC".

Conhecido como Bill pelas pessoas mais próximas, ele recebeu o imunizante da Pfizer/BioNTech em dezembro no Concentry, pouco depois de Margaret Keenan, de 91 anos. O idoso também chamou atenção por ter o mesmo nome do dramaturgo e poeta inglês.

LEIA MAIS: É impossível que vacina cause alterações genéticas, dizem especialistas

A conselheira do hospital e amiga de William, Jayne Innes, afirmou que "a melhor homenagem a Bill é receber a vacina". Ele, que morava em Brownshill Green e estava internado na enfermaria de fragilidade do hospital no momento de sua primeira injeção, disse que tinha sido "maravilhoso".

A viúva de William divulgou uma mensagem para homenagear o marido. "Bill ficou muito grato por ter a oportunidade de se tornar uma das primeiras pessoas no mundo a receber a vacina", disse Joy. "Era algo de que ele estava muito orgulhoso — ele adorava ver a cobertura da mídia e a diferença positiva que era capaz de fazer na vida de tantas pessoas. Ele sempre falava com as pessoas sobre isso e sempre encorajava todos a tomar a vacina sempre que possível", ressaltou ela. Além da esposa de 53 anos, o idoso deixa seus dois filhos e netos adultos.

Segundo a BBC, ele era um fotógrafo talentoso e amava todos os tipos de música, especialmente jazz, e ia regularmente a shows para tirar fotos dos músicos. William também era conselheiro paroquial e tinha grande atuação por mais de 30 anos em sua comunidade local.

"Bill adorava conhecer pessoas e ajudá-las de todas as maneiras possíveis. Acima de tudo, ele foi um marido, pai e avô maravilhoso, apelidado de Pop Pops pelos netos. Ele deixou uma grande marca em todos que o conheceram e fará muita falta", acrescentou a esposa. A amiga de William, Jayne, escreveu ainda em um post no Facebook que "Bill" será lembrado por muitas coisas, incluindo o gosto pela "travessura".

O Partido Trabalhista lamentou a morte do idoso. "Bill ganhou as manchetes globais como [o primeiro] homem a tomar a vacina contra Covid. Suas décadas de serviço ao partido foram recentemente reconhecidas por Keir Starmer. Nossos pensamentos estão com Joy e a família e amigos de Bill", afirmou a publicação.