Participamos do

Conter propagação da variante indiana no Brasil é "muito difícil", diz pesquisadora

Assim como Margareth Dalcomo, outros pesquisadores preveem o começo de uma terceira onda de Covid-19 no País em breve, promovida também pela variante indiana
21:21 | Mai. 24, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A pneumologista e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Margareth Dalcomo, acredita que o Brasil não será capaz de conter a propagação da variante indiana do coronavírus. “Acho que é só uma questão de tempo e nós vamos descobrir a variante da Índia circulando em outros locais, é muito difícil conter”, disse. Os primeiros casos da nova cepa no País foram identificados no Maranhão no último dia 20 de maio.

LEIA MAIS | Fiocruz conclui na próxima semana teste genético para confirmar caso suspeito de variante indiana no Ceará
+ Pará registra dois casos suspeitos de variante indiana; veja situação no Ceará e no País

Após o anúncio da presença da variante indiana no País, o Ministério da Saúde realizou testagem em larga escala em São Luís, capital do Maranhão, e deu início ao controle de fronteiras. O estado também receberá 5% a mais de vacinas contra a Covid-19. Isso não significou, no entanto, proatividade suficiente, de acordo com a pesquisadora. Em sua visão, o cancelamento de voos da Índia deveria ter ocorrido há três semanas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

LEIA MAIS | B.1.617: o que é e como age a variante indiana do coronavírus

“Conheço razoavelmente bem as condições indianas de controle sanitário. É muito precário. Então, quando começou na Índia, ficou óbvio que aquilo iria se disseminar”, argumentou. Para Margareth, as medidas irão pelo menos atenuar o impacto. “O Ministério da Saúde enviou testes, até uma quantidade grande, que pode testar metade da população de São Luís e de seus arredores. Talvez isso consiga determinar o tamanho do problema do ponto de vista epidemiológico, do impacto, mas não conseguirá controlar a transmissão”.

Assim como Margareth, outros pesquisadores preveem o começo de uma terceira onda de Covid-19 no País em breve, promovida também pela variante indiana. “Dependendo da taxa de transmissibilidade de uma variante, sem dúvida nenhuma, poderá causar uma situação muito grave no Brasil”, explicou. 37.498 casos e 790 óbitos por Covid-19 foram registrados no Brasil nas últimas 24 horas. Ao todo, o País acumulou 16.120.756 diagnósticos positivos e 449.858 pessoas vitimizadas pelo coronavírus.

LEIA MAIS | Covid-19: variante indiana é identificada em 51 países

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags