Participamos do

Pesquisadores descobrem nova variante da Covid-19 em circulação no Brasil

Apesar de origem diferente das linhagens encontradas no país, a nova variante também possui a mutação E484K
23:36 | Mar. 12, 2021
Autor Lara Vieira
Foto do autor
Lara Vieira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Cientistas brasileiros descobriram a circulação de uma nova variante do coronavírus no país. De acordo com os realizadores da pesquisa, o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) e a Rede Corona-ômica, responsável por sequenciamento genético, a nova variante foi denominada N9. Os estudos foram realizados entre 1 de dezembro de 2020 e 15 de fevereiro entre pessoas de 11 e 90 anos de idade, sendo 92 homens e 93 mulheres, que testaram positivo para Covid-19.

De acordo com o jornal O Globo, a nova variante tem origem distinta das de linhagem brasileira, P1 e P9. No entanto, ambas compartilham a mutação E484K, na proteína S do vírus, que potencializa a capacidade de transmissão do novo coronavírus. A variante também foi alvo de estudo por pesquisadores da Fiocruz, que estimam seu surgimento entre junho e setembro, e se espalhou por estados do Sul, Sudeste, Norte e Nordeste.

LEIA MAIS: O que se sabe sobre a variante da Covid-19 que chegou ao Ceará

 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em entrevista para O Globo, o coordenador da Corona-ômica, o virologista Fernando Spilki, declarou haver evidências de uma maior transmissibilidade, mas que são necessários estudos mais aprofundados. Até agora, as vacinas continuam a se mostrar eficientes tanto para as váriantes P1 e P9, quanto para a N9.

A pesquisa sequenciou e analisou 195 genomas, provenientes de pacientes com Covid-19 de 39 municípios, de cinco estados: Rio de Janeiro, Amazonas, Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte. Além do LNCC, participaram a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC/BA). Ao todo, 22 pesquisadores assinaram o estudo.                

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags