Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Cuba prepara primeira vacina contra coronavírus da América Latina

Segundo Vicente Vérez, diretor do instituto de vacinas Finlay, o país objetiva iniciar a campanha de vacinação no primeiro semestre do ano, com a imunização gratuita e não-obrigatória para a população cubana e opcional para turistas
00:01 | Jan. 22, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Pesquisadores cubanos estão determinados a desenvolver a primeira vacina contra o coronavírus concebida e produzida na América Latina. De acordo com Vicente Vérez, doutor e diretor do instituto de vacinas Finlay, o país está habilitado a fabricar, em 2021, 100 milhões de doses da Soberana 2. “Se tudo correr bem, este ano teremos toda a população vacinada”, diz o doutor. As informações são do portal UOL.

A Soberana 2 é o projeto mais avançado até o momento e passou na segunda-feira, 18, para a segunda parte da segunda fase de testes, com 900 voluntários colaborando. Caso os resultados sejam positivos, entrará na terceira e última fase antes da aprovação, com 150 mil voluntários. Os cientistas cubanos trabalham ao total em quatro vacinas: Soberana 1 e 2, Abdala e Mambisa. As três primeiras são administradas com injeção e a quarta com spray nasal.

LEIA MAIS | MPCE monta frente de fiscalização e cobrança por planos de vacinação contra Covid-19 no Ceará

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Segundo Vérez, o país objetiva iniciar a campanha de vacinação no primeiro semestre do ano, com a imunização gratuita e não-obrigatória para a população cubana e opcional para turistas. Com 19.122 casos confirmados e 180 mortes, Cuba é um dos países menos latinoamericanos menos afetados pela Covid-19.

O representante local da Organização Mundial da Saúde (OMS), José Moya, demonstra otimismo com os avanços em Cuba e realça que a região “foi a primeira candidata da América Latina e do Caribe a colocar sua vacina em fase clínica”. “Cuba tem mais de 30 anos de experiência em produzir suas próprias vacinas. Quase 80% das vacinas do programa nacional de imunização de Cuba são produzidas no país”, diz.

LEIA MAIS | Ministério da Saúde retira do ar aplicativo TrateCOV

Nils Graber, pesquisador de antropologia da saúde da suíça Universidade de Lausanne, relata que, na década de 1980, Cuba apostou na biotecnologia e descobriu a primeira vacina contra o meningococo B. A exportação de serviços hospitalares, incluindo medicamentos, vacinas e equipe médica, é atualmente a principal fonte de renda do país, com 6,3 bilhões de dólares arrecadados em 2018. Em 2020, a ilha enviou equipes médicas para 40 países para o combate à Covid-19. O envio de seus médicos ao exterior e a fabricação de sua própria vacina “também é uma política que aumenta o prestígio do país”, finaliza Nils.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags