PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Estado irá ampliar testagem para Covid-19 com testes antígenos, afirma dr. Cabeto

Diferentemente dos testes de anticorpos, indicados para casos em que os pacientes já tiveram a doença, a detecção de antígenos é feita para investigação de casos agudos da Covid-19

Gabriela Custódio
21:32 | 30/12/2020

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) irá ampliar a testagem para detecção de Covid-19 no Estado, segundo afirmou o titular da pasta, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, Dr. Cabeto, em entrevista ao O POVO na tarde desta quarta-feira, 30. Além de aumentar a capacidade instalada, por meio da compra de equipamentos específicos para testes RT-PCR — os principal teste para diagnóstico da doença na fase aguda —, serão adquiridos testes antígenos.

De acordo com o protocolo de manejo clínico de pacientes com Covid-19, da Sesa, os testes para detecção de antígeno podem ser uma alternativa ao RT-PCR para a investigação de casos agudos da doença. Nos pacientes com sintomas, devem ser realizados de preferência na primeira semana. "Esses testes são mais rápidos. Têm se mostrado não tão sensíveis, (mas) são de fácil execução", afirmou o secretário. Com eles, a ideia é expandir a testagem para locais como aeroportos, em voos domésticos; rodoviárias; Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do interior do Estado e para diversas regionais de Fortaleza e do Interior.

A aquisição dos testes poderá ajudar a ter uma ideia "mais apurada" de como está a pandemia. "Vai nos dar uma capilaridade grande e uma percepção dessas regiões de maneira muito mais acertada, porque nós ainda temos regiões com número de testagens baixa, como Litoral Leste/Jaguaribe", explicou dr. Cabeto.

Na entrevista, o secretário da Saúde afirmou ainda que, quanto ao preparo para a vacinação contra a Covid-19, o Ceará está em "uma realidade muito confortável do ponto de vista de estrutura".  O Estado já tem dois milhões de seringas com agulha específica para vacinação e adquiriu outras 5,7 milhões de unidades. "Além de haver ata aberta para recebermos ainda mais (seringas) em janeiro, depois do dia 5", complementa.

Ele também afirma que o Estado já conta com refrigeradores e que o método logístico de descentralização está "todo planejado". De acordo com informações da Sesa, cinco câmaras refrigeradas para o armazenamento de vacinas contra a Covid-19 chegaram ao Estado na manhã desta quarta-feira. Elas foram destinadas aos municípios de Banabuiú, Itaitinga, Paraipaba, Paracuru e Quixeramobim.

Outros 75 equipamentos devem chegar até 12 de janeiro de 2021. Ao todo, a Secretaria adquiriu 147 câmaras refrigeradas, sendo 143 de 200 litros e quatro de 300 litros. O investimento foi de R$2,8 milhões. Na entrevista, o secretário também lembrou o acordo feito com a Universidade Federal do Ceará (UFC), que disponibilizou freezers de alta potência para o armazenamento de vacinas que exigem temperaturas mais baixas.

Ao O POVO, o governador Camilo Santana (PT) afirmou na última terça-feira, 29, que tentará vacinar todos os cearenses ainda em 2021. Sobre o assunto, dr. Cabeto explicou que o objetivo é antecipar a vacinação do grupo prioritário, que soma mais de 1,7 milhão de pessoas no Estado a partir da aquisição de doses extras do imunizante. "Havendo aquisição extra, funcionaria assim. Anteciparíamos em seis meses", afirmou.

Uma vez aprovadas e prontas para serem utilizadas no Brasil, as imunizações devem chegar ao Estado em uma semana. "Essa distribuição costuma ter uma logística muito rápida, muito eficiente. Se estamos falando de uma vacina disponível a partir do dia 15 de janeiro, em geral, em uma semana devemos ter vacina disponível (no Ceará). Então, há uma expectativa, uma vez que a Sinovac disponibilize maior número de doses, de que a gente comece a vacinar a partir da segunda quinzena de janeiro. E no final de fevereiro com a da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), com a AstraZeneca (e a Universidade de Oxford)."