Participamos do

Antigo aeroporto de Berlim será transformado em centro de vacinação contra Covid-19

Berlim também selecionou para o plano outro antigo aeroporto, o de Tempelhof, que virou um abrigo para demandantes de asilo durante a crise dos refugiados
10:00 | Nov. 27, 2020
Autor AFP
Tipo Notícia

Diante do antigo aeroporto de Tegel em Berlim, um cartaz laranja de uma companhia aérea ainda dá "boas-vindas" aos passageiros. Mas na realidade, dentro de alguns dias as pessoas interessadas na vacinação contra a Covid-19 visitarão o local.

 

O terminal C do aeroporto, fechado no início de novembro, terá uma nova função: até meados de dezembro será transformado em um grande centro de vacinação contra o coronavírus.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

A Alemanha espera dispor da vacina no primeiro trimestre de 2021 e se prepara para uma operação de larga escala para implantar centenas de centros similares em todo o país, além de unidades móveis.

 

Apesar do dispositivo gigantesco, a vacina não será obrigatória no país, informou o ministro da Saúde, Jens Spahn.

 

O estado mais populoso da Alemanha, Renânia do Norte-Westfalia, prevê 53 centros e a Baviera ao menos 96.

 

O governo central garantirá a compra e a distribuição das doses, enquanto os estados regionais proporcionarão seringas, agulhas, vendas e antissépticos.

 

As autoridades regionais também devem selecionar os locais para as campanhas de vacinação em larga escala: salas de espetáculo, centros de convenção, velódromos ou pistas de patinação.

 

Em Tegel, "temos que vacinar entre 3.000 e 4.000 pessoas por dia", explica à AFP Albrecht Broemme, secretário responsável pela implementação das infraestruturas.

 

Berlim também selecionou para o plano outro antigo aeroporto, o de Tempelhof, que virou um abrigo para demandantes de asilo durante a crise dos refugiados.

 

Com seis centros para a capital, a prefeitura espera vacinar 20.000 pessoas por dia, de acordo com a secretária de Saúde de Berlim, Dilek Kalayci.

 

"Será um desafio imenso", admite. As prioridades serão reservadas para idosos e pessoas mais expostas ao vírus, como profissionais de saúde.

 

Os centros de vacinação ficarão abertos de 9h às 19h, inclusive nos fins de semana.

 

Albrecht Broemme, um ex-bombeiro, planejou tudo... com base em peças de construção de um brinquedo.

 

Com blocos de cores diferentes, ele construiu um minicentro de vacinas, que inclui balcão de check-in e diversas vias de circulação.

 

"Pensei em um sistema com os espaços necessários para que não aconteçam engarrafamentos", afirma o especialista em situações de emergência.

 

A pior coisa, afirma, seria que as pessoas se contaminassem ao comparecer à vacinação.

 

As pessoas terão que seguir um circuito, desde a verificação da identidade até o momento da vacinação, que deve durar apenas dois minutos.

 

Antes da injeção, acontecerá uma consulta médica. Após o percurso, uma "sala de espera" permitirá assegurar que tudo aconteceu da maneira correta.

 

Os serviços de saúde da cidade estão contratando funcionários, que incluem médicos, profissionais de vacinação, trabalhadores de logística e segurança.

 

O país, com uma escassez de profissionais da saúde, terá que recorrer a enfermeiras aposentadas, estudantes de Medicina, auxiliares de voo sem emprego, entre outros.

 


 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags